NOSSA MISSÃO

A Igreja Evangélica Assembléia de Deus de Palmeira das Missões Ministério de Madureira, tem a missão de fazer a diferença no Reino de Deus em Palmeira das Missões, no Rio Grande do Sul, no Brasil e em outros países do mundo. Pois nossos objetivos nos levam a sermos uma igreja alicerçada na Palavra de Deus primando pela salvação das almas, levando o evangelho a toda a criatura fazendo sempre a vontade de Deus, reconhecendo que o Senhor Jesus Cristo é o Senhor e Salvador de todos nós, para que os homens sejam servos obedientes e bons dispenseiros da multiforme graça do Senhor. Ministério de Madureira Uma Igreja Feliz! Contatos: 55.99998.3905, 55.984278599 e 55.99915.8554.

IEADEMMAD

IEADEMMAD
IEADEMMAD

CONAMAD - CONEMAD/RS - IEADEMMAD

CONAMAD - CONEMAD/RS - IEADEMMAD

Nossos Cultos!

Nossos Cultos!

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

O MARTÍRIO DOS APÓSTOLOS

O Espírito Santo falou que se fosse preciso morrermos por amor ao Evangelho, por amor de Cristo, deveríamos morrer, para que viessemos a receber a vida eterna. Pois não poderíamos ser diferentes, se somos pessoas que vivemos para Cristo, devemos estarmos prontos para morrermos por amor a Cristo! “pois nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por (amor de) Jesus, para que também a vida de Jesus se manifeste em nossa carne mortal. De modo que em nós opera a morte, mas em vós a vida. Ora, temos o mesmo espírito de fé, conforme está escrito: Cri, por isso falei; também nós cremos, por isso também falamos,” (2 Coríntios 4.11-13) . Os apóstolos também pagaram um alto preço por amar a Cristo. Somente o apóstolo João foi morto de forma natural, os demais apóstolos porém, foram mortos brutalmente, por não negarem o amor a Jesus Cristo, como também morreram outros heróis da fé, os quais não constam nas escrituras sagradas, mas nos anais da história do povo de Deus, que foram também mortos por amar a Jesus de Nazaré. Além disto, também está escrito que por amor de mim todos os dias estamos entregues à morte”, e também está escrito que nem a morte nos separará do amor de Cristo. “Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem anjos, nem principados, nem coisas presentes, nem futuras, nem poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Romanos 8.38-39). Como já falamos e conhecimento temos, que todos os apóstolos tiveram um fim doloroso por amor a Cristo, segundo relatos da história, conforme relatamos a seguir:
PEDRO: (Mateus16.16; Mateus 17.1-4; Atos 2.14). Teve a revelação que Jesus era “o Cristo, o Filho do Deus vivo”. No dia do pentecostes estava presente e pregou com autoridade. Diz a história que foi crucificado de cabeça para baixo, por achar-se indigno de ser crucificado da mesma maneira que Cristo, entre os anos 64-67, dC.
ANDRÉ: (João 1.35-42; Mateus 10.2). O local do seu martírio foi em Acaia (província romana que, com a Macedônia, formava a Grécia). Diz a história que ele foi amarrado a uma cruz em forma de xis, foi amarrado, não pregado, para que seu sofrimento se prolongasse.
TIAGO, FILHO DE ZEBEDEU: (Mateus 4.21; 10.2). Era irmão do apóstolo João, pescador e por ordem de Herodes Agripa, foi preso e decapitado em Jerusalém, entre os anos 42- 44 dC.
JOÃO: (João 13.23; Mateus 4.21; João 20.1-10; Apocalipse 1.9). João foi um discípulo que Jesus amava. Era pescador. Foram muitas as obras que Deus fez através de João. A história relata que João residia na região de Éfeso, onde através dele foram fundadas muitas igrejas. Depois foi exilado na ilha de Patmos, no mar Egeu, onde Jesus Cristo deu-lhe as visões do Apocalipse. Após sua libertação retornou para Éfeso. Teve morte natural com idade de 95 anos.
FILIPE: (João 1.43-46). A sua naturalidade era de Betsaida, da mesma região de Pedro e André. Diz a história que pregou na Frigia e morreu como mártir em Hierápolis.
BARTOLOMEU ou NATANAEL: (Mateus 10.3; João 1.45-47) Esteve pregando e ensinando sobre Jesus Cristo, na Anatólia, Etiópia, Armênia, Índia e Mesopotâmia. Diz a história que foi esfolado vivo e crucificado de cabeça para baixo.
TOMÉ: (João 20.25). Conhecido como o apóstolo sem fé, mas depois tudo mudou, e teve tanta fé que também morreu por amor de Jesus Cristo. Diz a história que sua obra de evangelização foi até a Pérsia (Pártia) e Índia. Consta que seu martírio se deu por ordem do rei de Milapura, na cidade indiana de Madras, no ano 53 dC.
MATEUS: (Marcos 2.14; Mateus 9.9-13; 10.3; Atos 1.13). Diz a história que Mateus esteve pregando e ensinando na Judéia, Etiópia e Pérsia. Existem versões diferentes sobre a sua morte. Teria morrido como mártir na Etiópia.
TIAGO, FILHO DE ALFEU: (Mateus 10.3). Diz a história que foi martirizado provavelmente no ano 62 dC.
JUDAS TADEU: (João 14:22-23). Diz a história que pregou o Evangelho na Mesopotâmia, Edessa, Arábia, Síria e também na Pérsia, onde foi martirizado juntamente com Simão, o Zelote.
SIMÃO O ZELOTE: Na listas dos apóstolos também aparece “Simão o Cananeu”, (Mateus 10.2-4; Marcos 3.16-19). Mas em (Lucas 6.14-16; Atos 1.13), ele é chamado “Simão o Zelote”. Diz a história que Simão o Zelote foi crucificado na Pérsia.
JUDAS ISCARIOTES: (Mateus 26:14-16; 27:3-5). Sabemos que traiu a Jesus por trinta moedas de prata, e logo em seguida enforcou-se. Judas não morreu por amor a Cristo, mas sim por amor ao dinheiro, e isso serve de lição para os crentes que amam o dinheiro.
MATIAS: (Atos 1.15-26). Foi o substituto de Judas Iscariotes. Diz a história que esteve pregando e ensinando na Judéia e Macedônia. Também teria sido martirizado na Etiópia.
PAULO: (Filipenses 3.5; Atos 8.3; 13.9; 23.6; 13-20). Conhecido como o grande apóstolo dos Gentios, pois sofreu muito mais em torturas, sofrimentos e perseguições do que os demais apóstolos. Nas suas três viagens missionárias fundou várias Igrejas. Diz a história que foi decapitado em Roma, nos tempos de Nero, mais ou menos no ano 67-70 dC. Como podemos observar, todos eles tiveram sofrimentos pelo amor a Jesus Cristo. Cremos que cada crente deve estar preparado para morrer, se for preciso, pelo amor a Jesus Cristo. Muito mais o missionário, se não estiver pronto para morrer pela causa do mestre, não cremos então que sobreviverá nas grandes pelejas e batalhas espirituais que podem surgir no campo missionário.Você que tem chamada para missões, dou-lhe um conselho: busque de verdade o Senhor em suas orações, para depois não ter que voltar atrás, e com a sua recuada ter muitos problemas. Agora, se tiver certeza do chamado, vá em frente, pois Jesus Cristo é por ti. "vendo Jesus as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam aflitas e desgarradas como ovelhas que não têm pastor. E então se dirigiu a seus discípulos: A seara na verdade é grande, mas os trabalhadores são poucos. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara" (Mateus 9.36-38). Deus o abençõe e seja fiel até a morte.

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

BATISMO NAS ÁGUAS - Apostila

"O BATÍSMO NAS ÁGUAS"

1. APRESENTAÇÃO:Parabéns amado irmão, ao aceitar o Senhor Jesus como Único e Suficiente Salvador de sua vida, você passa a integrar o povo de Deus, cuja abrangência e existência, vêm desde a Criação, e está sobre toda a Terra, nas mais variadas línguas, povos, tribos e nações (Daniel 7.13-14). Ao ler este material, seja aplicado(a) e esforce-se em ler todas as passagens bíblicas contidas nesta apostila, quando então terá um melhor entendimento acerca do batismo, sempre em oração, pedindo a Deus que lhe abra o entendimento, a fim de que tais orientações, fiquem gravadas em seu coração.

2. ORIGEM DO NOME:
A palavra batismo origina-se da grega baptizo ou da latina baptismus, e significa em ambos os casos, mergulho ou imersão.

3. HISTÓRICO:
O batismo já era praticado antes de Jesus, seus discípulos e de João Batista, como transparece em S.João 01.25-26.
Ele foi o ministério de João Batista e dos discípulos de Jesus (S. João 04.01-02) de quem o recebemos como parte da grande comissão: "PORTANTO IDE, FAZEI DISCÍPULOS DE TODAS AS NAÇÕES, BATIZANDO-AS EM NOME DO PAI, E DO FILHO E DO ESPÍRITO SANTO" (S.Mateus 28.19).
Sabe-se que o batismo foi praticado desde os tempos apostólicos pelos principais grupos da Igreja Cristã e, nas denominações protestantes tem sido reconhecido como a primeira das duas grandes ordenanças até ao dia de hoje, a segunda é a Ceia do Senhor.
Desde cedo na história da Igreja tem havido três principais mais diferentes modos de batismo: Aspersão (borrifamento), Afusão (derramamento) e Imersão (mergulho).
O batismo por aspersão consiste em que, de posse de uma vasilha ou cuba e com as próprias mãos se tome um bocado de água derramando-a depois sobre a cabeça do batizando.
Já o batismo por derramamento é feito tendo-se o batizando dentro da água em um tanque ou rio e ali com uma vasilha maior o ministrante derrame sobre ele, a partir da cabeça, um tanto de água.
O batismo por imersão requer que haja bastante água, para que o batizando possa ser mergulhado nela, conforme detalharemos adiante.

Os batismos por aspersão e por afusão foram muito praticados pela igreja nos tempos de grande perseguição, como nos seus primeiros tempos após a ascensão de Cristo, sob o domínio do império romano. Por serem cerimônias que não exigem lugares amplos, proporcionavam maior segurança e discrição.
Nossa igreja adota o batismo por imersão, a forma mais conhecida e difundida nos meios evangélicos, por entender ser a mais legítima e estar em maior sintonia com o próprio significado do nome (imersão).
Existem, no entanto, circunstâncias extremas em que não é possível levar o batizando até a um tanque ou rio e, excepcionalmente nestes casos, têm sido recomendados e aplicados simbolicamente os batismos por afusão ou aspersão.

4. CONCEITO:O batismo nas águas é, e deve sempre ser, uma declaração física e pública de algo que já ocorreu espiritualmente no coração do homem, pois o batismo por si só não tem sem este fato

Espiritual valor algum (como não tem valor uma cerimônia de casamento entre noivos que não se amam),
por ex.). Por isso só deve ser ministrado a pessoas legitimamente convertidas, conforme nos é instruído na Palavra de Deus nas seguintes passagens:

1. S. Marcos 16.15-16: "E JESUS DISSE-LHES... QUEM CRER E FOR BATIZADO, SERÁ SALVO..."
2. Atos 02.41: "DE SORTE QUE FORAM BATIZADOS OS QUE DE BOM GRADO RECEBERAM A SUA PALAVRA..."
3. Atos 08.36-37: "... DISSE O EUNUCO: EIS AQUI ÁGUA; O QUE IMPEDE QUE EU SEJA BATIZADO? E DISSE FILIPE: É LÍCITO SE CRÊS DE TODO O CORAÇÃO..."
4. Atos 18.08: "... E MUITOS DOS CORÍNTIOS, OUVINDO-O CRERAM E FORAM BATIZADOS".

5. A SIMBOLOGIA:O simbolismo do batismo está no ato do mergulho seguido pela ascensão das águas daquele que se batiza. Ao descer e subir das águas o batizando figura a imagem de Jesus Cristo quando desceu e ressurgiu da sepultura. Este símbolo se encontra no ensino de Paulo em Romanos 06.03-05 e em Colossenses 02.12.
Por isso o batismo representa a morte para o mundo seguida pelo nascimento de uma nova vida com Cristo, e foi chamado por Jesus de Novo Nascimento (era o que estava ensinando a Nicodemos em João 03.03).
O apóstolo Paulo tinha esta visão e a demonstrou e ensinou em 2 Coríntios 05.17 onde ele disse que a novidade de vida só é possível se houver um novo nascimento. Em sua carta aos Gálatas (03.27) ele também ensinou que a nova vida é possível porque herdarmos a natureza de Cristo, e aprendemos que não é pelas nossas forças mais é pelo poder d'Ele que tudo acontece!
Espiritualmente falando o batismo simboliza a morte, sepultamento e ressurreição daquele que aceita a Jesus como seu Salvador. O indivíduo que se consagra a Jesus deve morrer para a velha vida do pecado: "CONSIDERAI-VOS MORTOS PARA O PECADO" (Romanos 06.11).
Ao sair da água, o batizado ressuscita para uma nova vida. O batismo simboliza também a lavagem espiritual efetuada pelo sangue de Jesus (leia em Atos 02.38 e Atos 16.33).
Entendido até aqui, o(a) amado(a) irmão(ã) compreenderá que o batismo é impotente para salvar (Efésios 02.08) bem como para purificar pecados (I João 01.07), o que demonstra ser errônea a idéia que alguns irmãos às vezes têm, quando acham que ao passar pelas águas estas "levam embora" os pecados daquele que está sendo batizado (a lavagem do pecado é consumada por Jesus no dia da nossa conversão), dificultando a compreensão da doutrina da remissão dos pecados - (Romanos 10.09).
Quando se entrega o coração a Cristo, d'Ele vem à capacitação para a nova vida. Ninguém pode seguir a Jesus munido apenas de boas intenções ou por simples simpatia pela igreja ou pelo povo de Deus porque seria derrubado pela "primeira onda de tempestade". Tais recursos possuem "alicerces construídos sobre areia" e não "sobre a Rocha" que é Cristo.

6. OS PASSOS QUE PRECEDEM O BATISMO:
1. ArrependimentoArrependimento significa ter pesar de faltas próprias, mudar de opinião. O arrependimento vem àquele que refletiu seu próprio estado e resolveu fazer uma mudança no curso de sua vida.

Concorda com isso o pensamento do apóstolo Paulo quando declara: "MAS TRANSFORMAI-VOS PELA RENOVAÇÃO DO VOSSO ENTENDIMENTO". Essa transformação é completa e consciente: o homem deixa o curso da vida que está seguindo para se colocar noutro completamente oposto, e o que leva-o a tomar essa atitude é a operação de Deus pelo arrependimento em seu ponto mais profundo: o coração!

"ARREPENDEI-VOS!", foi uma das primeiras palavras da pregação de Jesus Cristo ao inaugurar seu ministério (S. Marcos 01.15).

2. Confissão dos Pecados:
Pode-se definir como sendo o ato de reconhecer-se pecador e necessitado da graça e purificação por Jesus. A confissão dos pecados é o fruto, o resultado, a conclusão da obra redentora de Cristo na vida do homem arrependido. Para você que vai se batizar, será bom meditar nestas duas passagens bíblicas: S.Mateus 03.05-06 e I João 01.09, nas quais vemos que o batismo nas águas sempre foi administrado sob confissão de pecados e que quando os confessamos, Deus não apenas nos perdoa mas transforma também nossa natureza pecaminosa para que não desejemos praticá-los mais.

3. Conversão:Conversão significa transformação, mudança de forma ou de natureza, mudança ou substituição de uma obrigação por outra. Essa interpretação mostra que a conversão é a seqüência do arrependimento. O arrependimento faz o homem sentir a repulsa dos seus atos maus e a conversão o leva a mudar de opinião. A conversão, em última análise, é o revestimento do homem novo ao despojar-se da velha criatura.

"ASSIM QUE, SE ALGUÉM ESTÁ COM CRISTO, NOVA CRIATURA É, AS COISAS VELHAS JÁ PASSARAM, EIS QUE TUDO SE FEZ “NOVO”(IICoríntios 05.17).
7. BATISMO COMO REQUISITO DE SALVAÇÃO:
O batismo não é dado como uma escolha àqueles que querem seguir a Jesus, pois o próprio Mestre foi claro: "AQUELE QUE NÃO NASCER DE NOVO (da água e do Espírito), NÃO PODE ENTRAR NO REINO DE DEUS" (S.João 03.05).
Jamais se deve desprezar o batismo: a leitura de todos os trechos usados neste pequeno estudo transmitirá ao leitor a seriedade deste ritual bíblico. Repare que quando Jesus foi ter com João Batista para por ele ser batizado, João lhe resistiu, mas Jesus porém lhe disse:
"DEIXA POR AGORA, PORQUE ASSIM NOS CONVÉM CUMPRIR TODA A JUSTIÇA" (S.Mateus 03.15).

8. BATISMO COMO UNIDADE
Outra característica importante do batismo, e que se deve conhecer, foi revelado por Paulo em Efésios 04.05 onde ele diz: "... UM SÓ BATISMO...".
Paulo não poderia, ao falar sobre a nossa unidade no corpo de Cristo, deixar de dizer que todos passamos pelo mesmo batismo. Ele é mais uma evidência da união dos membros na Igreja; por isso, ao descer às águas, o batizando está declarando sua integração ao corpo por semelhança de batismo.

9. UM SÓ BATISMO:
Quantas vezes uma pessoa deve ou pode se batizar? muitos perguntam. Encontramos no texto Sagrado base para compreendermos que o batismo, sendo um sinal físico de uma

intervenção Divina, que se dá graças a ela e que é de uma vez por todas (Hebreus 09.28), não poderia jamais ser repetido numa mesma vida, pois seria como reduzir o poder do sacrifício de Jesus ao dos sacrifícios de animais do Velho Testamento, que não serviam senão para expiação de um único pecado.
A Bíblia ensina que o sangue de Jesus nos purifica de TODO o pecado (I João 01.07) e que, segundo a passagem de Hebreus 06.01-02 não podemos lançar de novo o fundamento das seguintes coisas:
. Do arrependimento de obras mortas;
. De fé em Deus;
. Da doutrina dos batismos;
. Da imposição das mãos;
. Da ressurreição dos mortos;
. E do juízo eterno.
Entre estes itens destacamos o terceiro, e com ele na memória pedimos ao amado que verifique a doutrina central deste ensino nos versos 04 e 06 daquela passagem, onde lemos que aqueles que se submetem novamente a qualquer uma destas doutrinas fazem como se estivessem de novo crucificando a Jesus e novamente expondo-o ao vitupério (vergonha).
Resumindo: lançar de novo o fundamento da doutrina do batismo na vida de alguém que fora já iluminado, mesmo que tenha caído, seria ignorar o sacrifício de Cristo ou pior: o texto diz ser o mesmo que expô-lo à vergonha da cruz novamente, contradizendo assim a doutrina e o valor expiatório (reconciliador) do seu próprio sangue.
Portanto, não se pode lançar mão do verdadeiro batismo senão uma única vez em nossa vida, pois ele é imagem da obra redentora de Jesus que de UMA SÓ VEZ nos livrou de todo o pecado.

10. PORQUE O BATISMO É NECESSÁRIO PARA SE INGRESSAR NA IGREJA EVANGÉLICA?O Batismo, além de tudo o que já partilhamos, demonstra também uma mudança de fé: os judeus eram observadores da doutrina de Moisés dada por Deus, mas na época de Jesus estes homens estavam já tão longe dos princípios Divinos e tão amantes das letras, que tentando serem tidos por religiosos competiam entre si sobre sua suposta religiosidade e acabaram por serem tidos como hereges, desobedientes, hipócritas, mentirosos, avarentos e duros de coração pelo próprio Jesus Cristo. Com uma fé tão deturpada, esta não fora reconhecida como válida para o reino de Deus agora pregado por Jesus, e por isso, mesmo pouco antes de Jesus, João Batista já pregava fervorosamente àqueles homens e mulheres: "ARREPENDEI-VOS POIS VOS É CHEGADO O REINO DOS CÉUS!" (S. Mateus 03.02, 06), e os batizava.
Infelizmente, o mesmo acontece com as pessoas de hoje em dia: cada um querendo ser sábio aos seus próprios olhos, se têm por justificados diante de Deus por mais sujos que estejam. Faz parte desta nossa época a depravação, a impureza, a corrupção e a apostasia (falsa fé).
Assim, como naqueles tempos, recebemos orientação de Deus que nos revela ser esta fé de nosso povo, nossa nação, igualmente repreensível e falsa pois não se baseia em nenhuma obra redentora, transformadora ou remidora de Jesus em suas vidas, requerendo assim, quando estas obras se tornarem verdade na vida de qualquer um deles, um justo e verdadeiro batismo.

11. O BATISMO DE CRIANÇAS:
A Bíblia diz que o batismo conjuga-se com a confissão de pecados (S.Mateus 03.05-06), e sabemos que para alguém confessar seus pecados é necessário que tenha capacidade de reconhecimento dos mesmos para então poder naturalmente arrepender-se deles.

Por isso a igreja evangélica não batiza crianças recém-nascidas ou com idade inferior a 12 anos, idade que se convencionou como favorável a uma atitude responsável como o batismo, pois cremos que antes disso a criança não tem elementos para corresponder às exigências necessárias para uma atitude consciente, consideração esta que encontra aconchego na passagem de S.Lucas 02.39-52 onde encontramos o menino Jesus, com doze anos (v. 42), manifestando sua grande sabedoria e graça. Concluindo, se uma criança não tem consciência do pecado, também não tem da necessidade de arrependimento (S.Lucas 18.16).

12. PODEMOS BATIZAR pessoas cujo cônjuge não concorde com sua fé ou quando não estão devidamente casados?As escrituras revelam que a salvação é individual, ou seja, ninguém comparecerá ante o trono de Deus acompanhado. Tampouco terá padrinhos, mas falará por si mesmo. Aprendemos na Bíblia que tanto o nosso chamado quanto a nossa vocação, e eleição, e capacitação e arrebatamento serão individuais.
Impedir que alguém se batize porque sua esposa ou marido não concorda com sua fé ou porque não são devidamente casados é contrariar diversos conceitos bíblicos.
Entretanto a igreja, após o batismo daquele(a) que se converteu legitimamente, se empenhará para que sua vida familiar e conjugal se normalize e se regularize, ao menos diante da lei dos homens, prestando-lhes auxilio pastoral, instrutivo e até financeiro de acordo com os recursos da congregação e as particularidades de cada caso.

13. PODEMOS BATIZAR alguém que ainda possua algum vício?Aqui temos uma questão que cada igreja possui seus próprios métodos para tratamento, portanto, é importante que o candidato se informe, ou seja, informado sobre como sua igreja trata o assunto.
Contudo podemos mencionar que algumas igrejas não batizam sem que a vida do batizando comprove uma conversão total e uma completa mudança de hábitos na vida, como convém a um crente.
Outras, porém entendem que apesar de o chamado de Deus ser decisivo na vida do novo convertido assumem que ele precisará de apoio e acompanhamento da igreja para que entenda as razões que o auxiliarão a abandonar seus vícios, considerando os casos de dependência natural que certos indivíduos desenvolvem em seus corpos.
Nossa posição em particular é que não se pode impedir ninguém que deseje sinceramente descer às águas do batismo (Atos 8:36-37) desde que se enquadre no que ensinamos nesta apostila, pois sabemos que seu batismo será uma grande ferramenta no fortalecimento de suas convicções como aspirante à carreira da fé, entretanto não concordamos que após o batismo o novo crente, que ainda possua vícios discriminados pela sociedade, tenha acesso a Santa Ceia do Senhor. A igreja deverá ampará-lo com instrução, acompanhamento, oração e no tratamento de seu vício (como as drogas, por ex.) até que possa tocar no pão e no cálice do Senhor de modo a não prejudicar sua santidade e reverência.

14. A SANTA CEIA: A MESA DO SENHOR:
O batismo é tido como a primeira das duas grandes ordenanças da Palavra de Deus para a Igreja, a segunda é a Santa Ceia.

Enquanto a primeira estabelece, a segunda preserva e renova o cristão na comunhão com Cristo e com sua Igreja.
Qualquer pessoa que tenha tido uma experiência legítima com Deus, tenha se arrependido, confessado seus pecados e convertido seus caminhos para uma nova vida e passado

pelas águas do batismo, preenche todos os requisitos indispensáveis para que participe da Santa Ceia, pois através do Batismo o pecador "entra" na comunhão da Igreja, e pela Santa Ceia ele renova e amadurece esta comunhão mês a mês.
Todos estes passos são importantes visto a grande responsabilidade que repousa sobre aquele que participa da Mesa do Senhor: "PORQUE O QUE COME E BEBE INDIGNAMENTE, COME E BEBE PARA SUA PRÓPRIA CONDENAÇÃO, NÃO DISCERNINDO O CORPO DO SENHOR" (ICoríntios 11.29).
Note-se aqui que a Mesa do Senhor não salva, mas condena! condena aquele que não discerne (compreende, honra) o corpo do Senhor.
Entretanto, não se tenha por isso razões para não se tomar a Ceia do Senhor ao menor sinal de fraqueza: o texto Bíblico ensina:
"SE CONFESSARMOS OS NOSSOS PECADOS, ELE É FIEL E JUSTO, PARA NOS PERDOAR OS PECADOS, E NOS PURIFICAR DE TODA A INJUSTIÇA" (I S.João 01.09).
Não é difícil de compreender porque aquele que é batizado se torna digno de participar do pão e do cálice do Senhor. Porque no verdadeiro e legítimo Batismo, requer do novo cristão, responsabilidade e comunhão com Deus.

15. DÍZIMO - Uma Questão de Obediência:
O dízimo significa: "Oferta entregue voluntariamente à obra de Deus, constituindo-se na décima parte do salário, lucros ou ganhos do adorador". Todo aquele que sonega o dízimo, a parte que pertence ao Senhor,pela Palavra de Deus é chamado de ladrão, pois esta escrito em (Ml 3,8a): ..."roubará o homem a Deus?"
É mister que voltemos a encarar a doutrina do dízimo com toda a seriedade. Temos que entender que o Senhor tem um firme compromisso com os que abençoam a sua obra com os seus dízimos e ofertas voluntárias. Dessa forma, estaremos a expandir o Reino de Deus, ganhando almas, discipulando os novos convertidos e proclamando o evangelho de Cristo dentro e fora de nossa nação.
A ordem divina não comporta dúvidas (Ml 3,10): "Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu e não derramar sobre vós benção sem medida", porém estes devem ser entregues a quem de direito: Ao Senhor nosso Deus. Existe crentes que não conseguem compreender a dimensão do dízimo, pois ao invés de obedecer à Palavra de Deus, enviam os seus dízimos para programas de rádios e de televisão. Outros, chegam a ponto de querer praticar boas obras, ajudando parentes e pessoas necessitadas, não que a "Ação Social" venha ser descartada, ela é uma parte importantíssima dentro do ministério, mas aquilo que é de Deus, deverá ir para a casa de Deus, conforme firmado em sua Palavra.
Devemos cumprir rigorosamente a Palavra de Deus, e quanto aos nossos parentes e pessoas que se encontram necessitadas, é de inteira responsabilidade cuidar deles com os 90% da sobra de nossos ganhos. Quanto aos administradores da casa de Deus a responsabilidade é ainda maior. O ministério para ser abençoado deve ser bem administrado, com pessoas com dons de gerir as finanças da casa do Senhor, conforme (2Cr. 31:12-16) “(Verso: 12) Uma vez preparados, recolheram neles fielmente as ofertas, os dízimos e as coisas consagradas; disto era intendente Conanias, o levita e Simei, seu irmão, era o segundo. “(Versos: 13, 15 e 15......................)”. “(Verso: 16) Exceto os que estavam registrados nas genealogias dos homens, três anos para cima, e que entravam na casa do Senhor, para a obra de cada dia pelo seu ministério nos seus cargos, segundo os seus turnos”.
É com nossos dízimos, que se adquire literatura para se evangelizar os incrédulos e educar o povo de Deus, contribuindo também para a obra missionária, além de suprir as demais despesas da casa de Deus. O povo pode falhar em seus compromissos; os obreiros também falham. Será que temos falhado? No entanto, Deus jamais faltará com a sua Palavra. Se Ele prometeu abençoar-nos, não temos que duvidar. É só dizimar como nos recomenda o Senhor em sua Palavra, e aguardarmos as suas bênçãos, conforme disse: "para que haja mantimento em minha casa...", "... e repreenderei o devorador...".
São inúmeras as bênçãos do Senhor, basta que sejamos obedientes e fiéis em cumprir a determinação da sua palavra. Sejamos, pois, fiéis nos dízimos e nas ofertas. Dizimar é uma forma mui expressiva e amorosa de se adorar aquEle que nos tem sido mais que generoso. "Minha é a prata, e meu é o ouro, disse o Senhor dos Exércitos". (Ageu 2:8). Dízimo é a décima parte consagrada a Deus. A Lei requeria que a décima parte do grão, do vinho e do azeite produzidos cada anos, assim como os primogênitos dos rebanhos e das manadas, fossem entregues aos levitas e sacerdotes. Veja a seguir:
(Lv 27,30-32):“Verso 30: Também todas as dízimas da terra, tanto dos cereais do campo como dos frutos das árvores, são do Senhor; santas são ao Senhor. Verso 31: , Se alguém, das suas dízimas, quiser resgatar alguma coisa, acrescentará a sua Quinta parte sobre ela. Verso 32: No tocante às dízimas do gado e do rebanho, de tudo o que passar debaixo do bordão do pastor, o dízimo será santo ao Senhor.
(Dt 14,22): “, Certamente, darás os dízimos de todo o fruto das tuas sementes, que anos após ano se recolher do campo”.
(2Cr 31,5): “ Logo que se divulgou esta ordem, os filhos de Israel trouxeram com abundância as primícias do cereal, do vinho, do azeite, do mel e de todo o produto do campo; também os dízimos de tudo trouxeram em abundância”.
(Jl 2,18-19): “ Verso 18: Então, o Senhor se mostrou zeloso da sua terra, compadeceu-se de seu povo (verso 19): e, respondendo, lhe disse: Eis que vos envio o cereal, e o vinho, e o óleo, e deles sereis fartos, e vos não entregareis mais ao opróbrio entre as nações”.

16. A OBRA DO ESPÍRITO SANTO:
Queridos irmãos, a igreja dos últimos dias vem meditando sobre o Espírito Santo, sobre o que é a Palavra e o que é a Verdade, pois quero compartilhar com vocês o que nos tem empolgado na grandeza do nosso Deus. Quando Jesus falou com os discípulos sobre a obra do Espírito Santo no coração daquele que crê, Ele disse:
“Quando vier o Espírito da Verdade, Ele vos guiará a toda a Verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará as coisas que hão de vir. Ele Me glorificará porque há de receber do que é Meu, e vo-lo há de anunciar” – João 16:13,14.
Grifei algumas palavras porque quero que os irmãos entendam, não somente que o Espírito Santo faz algo, mas principalmente que se conscientizem de que Ele é uma pessoa e não uma energia em você. Observe também que Jesus O chamou de “O Espírito da Verdade”. A única pessoa que pode colocar os irmãos e você na realidade da Verdade, é o Espírito Santo. Somente Ele tem condição de tomar a Palavra (escrita na sua Bíblia) e imprimir a verdade dEla ou, como gosto de dizer: gravar a Palavra de Deus, no seu coração de modo que, o que Deus diz se torna o fundamento de suas vidas. E se vocês não sabem o que é a Verdade, observem o que o apóstolo João disse:
“A graça e a Verdade vieram por meio de Jesus Cristo” - João 1:17.
Após a desobediência de Adão no Jardim do Éden, não havia Verdade na Terra como a nos dias do Evangelho, ou seja, nos dias atuais. O Espírito Santo estava com os homens e alguns como Abel, Abraão, Moisés, Davi, os profetas etc..., chegaram a conhecer a grandeza da salvação em Cristo, mas Jesus afirmou aos discípulos que o nosso caso é diferente:
“O Pai vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da Verdade, que o mundo não pode receber, porque não O vê, nem O conhece; vós O conheceis, porque ele habita convosco e estará em vós”: – João 14:16,17.
Observe, como é importante para Deus que conheçamos a Verdade, pois Ele enviou a terceira pessoa da Santíssima Trindade para habitar em e entre nós. Mas o que vem a ser ‘conhecer a Verdade’?
Na primeira citação acima, Jesus disse que o Espírito da Verdade receberá o que é de Jesus e no-lo anunciará. O que pode ser isso? Minhas meditações têm sido em torno do que a Verdade faz em nossas vidas, todos dias. O apóstolo João disse:
“O Verbo (Palavra criadora de Deus) Se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de Verdade e vimos a Sua glória (...) – João 1:14;
Jesus – o Verbo, Palavra criadora de Deus – veio para remover todos os efeitos da corrupção, para restaurar em nossa vida de todo dia o poder da Verdade – o poder criador da Palavra. Cabe ao Espírito Santo ouvir e receber a Palavra e anunciá-la a nós de tal modo que a Palavra cria a condição eterna em nossas vidas. E qual será o efeito prático da Palavra se vocês receberem o que o Espírito da Verdade, se deixarem que Ele ‘carimbe ou grave’ a Verdade de Deus nos seus corações? Observem o que disse o profeta Isaías:
“Todo vale será aterrado, e nivelados todos os montes e outeiros; o que é tortuoso será retificado, e os lugares escabrosos aplainados” - Isaías 40:4.
Essa é a glória de Jesus que vê, aquele que atenta para a Palavra que o Espírito da Verdade lhe anuncia no coração. Não há exceção, não há limites, não há coisa alguma que possa resistir quando vocês, permitem que o Espírito Santo diga o que Ele ouviu no céu a respeito de vós – é só vitória e paz e alegria no Espírito Santo. É assim que se vive no reino de Deus.
O Espírito Santo que habita em vós, deseja revelar-lhes todos os mistérios da salvação, não como uma filosofia ou idéia, mas tornando reais as mudanças no dia-a-dia de cada um dos irmãos, exatamente como disse na citação de Isaías. E isso acontecerá continuamente, na medida em que você procede segundo a afirmação do apóstolo Paulo:
“Quem fala em outra língua, não fala a homens, senão a Deus, visto que ninguém o entende, e em espírito fala mistérios” (1 Cor. 14:2).
É dessa maneira que a Palavra criadora – Jesus, cria as novas condições do Evangelho em nós, através do Espírito Santo.

17. SANTIFICAÇÃO:
Quero considerar um assunto que preocupa muitos cristãos, mas, de maneira geral, não é abordado e entendido corretamente: a santificação. O que significa a santificação e como funciona em nossa vida ?
Em primeiro lugar, necessitamos entender que a santificação faz parte da provisão de Deus no Evangelho e a recebemos ao nascer de novo em Cristo Jesus.
“Vós sois dEle (de Deus) em Cristo Jesus, O qual Se nos tornou sabedoria, e justiça, e santificação e redenção” - 1 Coríntios 1:30.
Em segundo lugar, temos a recomendação do apóstolo Pedro:
“Segundo é santo Aquele (Deus) que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque Eu sou santo” – 1 Pedro 1:15,16.
Como agir para nos tornar santos se a nossa santificação é Jesus? Muitos cristãos se confundem com isso em razão de uma concepção distorcida da santificação que tem levado as pessoas a esforços totalmente ineficazes e ridículos. Ao explicar a santificação, o apóstolo Paulo disse:
“Ora, numa grande casa não há somente utensílios de ouro e de prata; há também de madeira e de barro. Alguns, para honra; outros, porém, para desonra. Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra”- 2 Timóteo 2:20,21.
Creio que, em vista dessa explicação, não e difícil entender o significado correto da santificação que, no texto original em todos os casos citados, a santificação tem a conotação de ‘algo separado e dedicado exclusivamente a determinado fim ou finalidade’. Por isso Paulo nos exorta a sermos “utensílio para honra, santificado e útil ao nosso possuidor, estando preparado para toda boa obra”.
Em Sua oração ao Pai em favor dos discípulos, Jesus disse:
”Santifica-os (algo que Deus faz) na Verdade; a Tua Palavra é a Verdade” – Joao 17:17. Observamos, então, que é através da Palavra da Verdade que Deus nos santifica, isto é, faz com que você e eu nos tornemos santos como Ele é Santo. E é através da nossa ‘separação e dedicação à Palavra’ que nos tornamos “utensílio para honra, santificado e útil ao nosso possuidor, estando preparado para toda boa obra. É pena que a santificação tem sido interpretada como “rigor ascético’ ou ‘culto de si mesmo’ (costumes etc) que, segundo Paulo (Colossenses 2:16-23), não têm valor algum. Os pobres cristãos que são enganados com este tipo de ‘santificação’ jamais desfrutam da realidade: a santificação na Verdade. O salmista nos revela como a santificação funciona na prática: “Tu (Deus) comprazes na Verdade no íntimo, e no recôndito (do coração) me fazes conhecer a sabedoria” – Salmo 51:8. - “Guardo no coração as Tuas Palavras, para não pecar contra Ti”- Salmo 119:11.
A maneira de você e eu nos tornarmos santos como Deus é Santo é atentarmos para A Palavra e procedermos segundo Ela. Deus é totalmente identificado com a Sua Palavra para a nossa redenção, e semelhantemente, para nós sermos santos como Deus é santo, é imprescindível que andemos segundo a Sua Palavra. O salmista diz que a Palavra no coração guarda de pecar contra Deus; e o apóstolo Pedro disse que através da Palavra, você e eu “livramo-nos da corrupção das paixões que há no mundo” (2 Pedro1:4).
Talvez nenhum de nós entenda perfeitamente o que a Palavra de Deus – a Verdade - faz em nós, mas o apóstolo Paulo diz que: “contemplando (na Palavra), como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória, na Sua própria imagem” _ 2 Coríntios 3:18.
Meu querido irmão, pode haver algo melhor que isso? Quanto mais você considerar atentamente na lei perfeita (Tiago 1:25), tanto mais você se tornará santo como Deus é Santo

18. SALVAÇÃO:A Salvação somente poderá ser alcançada por todos aqueles que se dedicam e confiam no Senhor, crendo que tudo o que proferir a Deus oração, Ele o ouvirá, conforme está escrito: Mq 7:7 “Eu, porém, confiarei no Senhor; esperarei no Deus da minha salvação. O meu Deus me ouvirá”.
Quando falamos em salvação, estamos alertando a toda a humanidade da existência de um Deus triuno, o Qual é Pai, é Filho e é Espírito Santo. Somente crerão na família da trindade, aqueles que tomarem conhecimento da grandeza da sua Palavra. Jó 13:16 “Também isso será a minha salvação, pois o ímpio não virá perante ele”.
Vejam a seguir, alguns versículos que falam de Salvação, a qual somente poderá ser alcançada através de Jesus Cristo de Nazaré:
- Fl 1:19 porque sei que isto me resultará em salvação, pela vossa súplica e pelo socorro do Espírito de Jesus Cristo,
- Fl 1:28 e que em nada estais atemorizados pelos adversários, o que para eles é indício de perdição, mas para vós de salvação, e isso da parte de Deus;

- Fl 2:12 De sorte que, meus amados, do modo como sempre obedecestes, não como na minha presença somente, mas muito mais agora na minha ausência, efetuai a vossa salvação com temor e tremor;
- Hc 3:18 todavia eu me alegrarei no Senhor, exultarei no Deus da minha salvação.
- Sl 3:8 A salvação vem do Senhor; sobre o teu povo seja a tua bênção.

19. BENVINDO À FAMÍLIA!Se o(a) amado(a) irmão(ã) teve o inigualável privilégio de conhecer a Jesus, experimentando seu poder em sua vida, só resta agora atender a exortação de Lucas:
"E AGORA, POR QUE TE DEMORAS? LEVANTA-TE, RECEBE O BATISMO E LAVA OS TEUS PECADOS, INVOCANDO O NOME DE JESUS" (Atos 22.16).
...e o Senhor nas pessoas do Pai, do Filho e do Espírito Santo, juntamente com a "noiva" (que é a igreja), lhe dão as boas-vindas à família de Deus.
Contudo, é bom salientar de que fazemos parte da igreja de Cristo, portanto nosso comportamento diante de Deus e dos homens devem ser sempre o melhor. Não importa onde estivermos, sempre seremos cristãos e nosso testemunho deverá ser o melhor.
Frisamos ainda, que tanto o homem cristão, como a mulher cristã, devem se vestir adequadamente, tanto no mundo secular, como no cristão. Cabe ao homem de Deus, se portar com dignidade exemplificada na pessoa de Jesus Cristo, para que, como o nosso testemunho, venhamos a alcançar a salvação nossa e de outras pessoas. Quanto às mulheres, sejam ganhadoras de almas, vestindo-se com decência, pois para a mulher, determinados tipos de roupas a tornam sedutoras, o vem contra os preceitos cristãos, portanto, deve ser fiel e vigilante, para não cairdes em tentação e nem ser instrumento do inimigo para tais fins, contudo, Deus o abençoará e o capacitará para toda a boa obra.

20. COMO MEMBRO DA IGREJA:
Como meditamos há pouco, batizando o amado irmão ou amada irmã, depois de batizados entrarão definitiva e legitimamente na comunhão da igreja e a partir de então se tornarão beneficiários e beneficiados responsáveis pela integridade, funcionamento e manutenção da igreja, tanto no âmbito físico (como o prédio e seus pertences), como no espiritual (orando e consagrando-se em favor de seus ministros e membros).
Simultaneamente você passa a ser participante das bênçãos de Deus, e se torna mais um dos muitos instrumentos de Deus para conquista e salvação dos que ainda não conhecem o Caminho da Verdade (entre os quais estão seus parentes e amigos).
Procure informar-se com os demais irmãos, ou ministério da igreja, sobre as formas pelas quais você pode contribuir nestas áreas. A igreja cumpre com seus compromissos financeiros através de ofertas e dízimos voluntários, os quais se recolhem de acordo com os métodos estabelecidos pelo Ministério, o qual esta embasada única e exclusivamente na Palavra de Deus.
Pergunte ao seu pastor ou dirigente, ou ainda a algum irmão ou irmã da igreja, de como você poderia cumprir com seu dever nesta área, pois na igreja os compromissos financeiros englobam, aquisição de literaturas como folhetos, revistas para escola dominical, Bíblias para evangelismo, utensílios de aula e visitas em hospitais, asilos e diversos outros lugares.
Peça ao seu pastor que lhe apresente as instalações e atividades de sua igreja e onde você poderia estar se integrando.

"ASSIM QUE JÁ NÃO SOIS ESTRANGEIROS, NEM FORASTEIROS, MAS CONCIDADÃOS DOS SANTOS E DA FAMÍLIA DE DEUS" (Efésios 2.19)

21. INSTRUÇÕES FINAIS:
O pastorado da igreja o(a) cumprimenta e congratula pela iminência de sua passagem pelas águas do batismo.
A cerimônia do batismo segue um ritual cuidadosamente planejado de forma a garantir-lhe um caráter solene muito especial.
Para tanto, requer-se dos candidatos alguns cuidados que alistamos a seguir:
1. No dia do batismo...
· Procure apresentar-se em jejum caso o batismo seja na parte da manhã, ou quando não for, separe algumas horas pela manhã do dia marcado para orar e jejuar.
· Leve consigo uma muda completa de roupa para a volta ou para troca;
· Com o fim de otimizar o tempo vá trajado(a) com a roupa que usará para descer às águas;
· O avental do batismo será fornecido pela igreja, entretanto, é necessário que a roupa usada pelo batizando seja de tecido grosso de modo a não marcar o corpo quando molhada;
· Todos os detalhes da cerimônia serão explicados durante uma reunião marcada previamente;
· Leve consigo seus objetos de uso pessoal, entre os quais destacamos: toalha de banho, pente ou escova de cabelo e espelho, etc...;
· Leve consigo também muita fé e confiança, pois muitos ao descer às águas recebem também o batismo no Espírito Santo no momento do batismo;
· Seja responsável pelo avental de batismo, devolvendo-o à pessoa encarregada dos mesmos;
Na semana que precede a data do batismo vigie, resguardando-se ao máximo, evitando que alguma cilada maligna venha a diminuir a graça e a beleza daquele dia. Envolva-se o quanto possa com as coisas de Deus como a leitura da Bíblia, a comunhão com os irmãos da igreja e, ore bastante!
Por fim, ressaltamos de que além de alcançar mais graças de Deus, também será expedido um Certificado de Batismo, o qual poderá colocá-lo num quadro, e expor em sua residência.

A paz do Senhor Jesus!

(A) João Amilton de Anunciação, Pastor da AD Min. Madudeira.

AS QUATRO LEIS DO AMOR

1. PRIMEIRA LEI

DEUS TE AMA, E TEM UM PLANO MARAVILHOSO PARA A SUA VIDA. O AMOR DE DEUS: " Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigénito, para que todo o que nele cré não pereça, mas tenha a vida eterna"(João 3:16). NO PLANO DE DEUS Cristo afirma: "Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância" (uma vida plena e com propósito) (João 10:10). Por que é que a maioria das pessoas não conhecem essa "vida em abundância"?

2. SEGUNDA LEI

O HOMEM É PECADOR E ESTÁ SEPARADO DE DEUS; POR ISSO NÃO PODE CONHECER NEM EXPERIMENTAR O AMOR E O PLANO DE DEUS PARA A SUA VIDA. O HOMEM É PECADOR: "Pois todos pecaram e separados estão da glória de Deus" (Romanos 3:23). O homem foi criado para ter um relacionamento perfeito com Deus, mas por causa da sua desobediência e rebelião, escolheu seguir o seu próprio caminho, e o relacionamento com Deus desfez-se. O pecado é um estado de indiferença do homem para com Deus. O HOMEM ESTÁ SEPARADO: "Porque o salário do pecado é a morte" (separação espiritual de Deus) (Romanos 6:23). Deus é santo e o homem é pecador. Um grande abismo separa-os. Mas o homem sente que lhe falta algo, tem um vazio e está continuamente a procurar alcançar Deus e a vida abundante, através dos seus próprios esforços: vida reta, boa moral, filosofia, etc. A Terceira Lei oferece-nos a única resposta para o problema da separação...

3. TERCEIRA LEI

JESUS CRISTO É A ÚNICA SALVAÇÃO DE DEUS PARA O PECADO DO HOMEM. POR MEIO DELE VOCÊ PODE CONHECER O AMOR E O PLANO DE DEUS PARA A SUA VIDA. ELE MORREU EM NOSSO LUGAR: "Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores" (Romanos 5:8). ELE RESSUSCITOU DENTRE OS MORTOS: "Cristo morreu pelos nossos pecados... foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras." (I Coríntios 15:3,4). ELE É O ÚNICO CAMINHO - Respondeu-lhe Jesus: "Eu sou o caminho e a verdade, e a vida: ninguém vem ao Pai senão por mim" (João 14:6). Deus ligou o abismo que nos separa dele, ao enviar o seu Filho, Jesus Cristo, para morrer na cruz em nosso lugar. Não é suficiente conhecer estas três leis...

4. QUARTA LEI

PRECISAMOS RECEBER JESUS CRISTO COMO SALVADOR E SENHOR, POR MEIO DE UM CONVITE PESSOAL. SÓ ENTÃO PODEREMOS CONHECER E EXPERIMENTAR O AMOR E O PLANO DE DEUS PARA A NOSSA VIDA. PRECISAMOS RECEBER CRISTO: "Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber; aos que crêem no seu nome" (João 1:12). RECEBEMOS CRISTO PELA FÉ: "Porque pela graça sois salvos; mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus; não das obras, para que ninguém se glorie" (Efésios 2:8-9). RECEBEMOS CRISTO POR MEIO DE UM CONVITE PESSOAL - Cristo afirma: "Eis que estou à porta, e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa" (Apocalipse 3:20). Receber Cristo implica num desejo de mudança de vida, uma nova atitude para com Deus, é deixar de confiar em nossos próprios esforços, crendo que Cristo, ao entrar em nossos vidas faz de nos aquilo que Ele quer que sejamos.
Estes dois círculos representam dois tipos de vida:
Qual dos dois círculos representa a sua vida?
Qual deles desejaria que representasse sua vida?
Eu gostaria de explicar-lhe como pode receber Cristo.
VOCÊ PODE RECEBER A CRISTO AGORA MESMO EM ORAÇÃO(Orar é falar com Deus) Deus conhece o seu coração e está mais interessado na atitude do seu coração do que nas suas palavras.
A oração seguinte serve como exemplo: "Senhor Jesus, eu preciso de ti. Abro a porta da minha vida e recebo-te como meu Salvador e Senhor. Toma conta da minha vida. Agradeço-te porque perdoas os meus pecados e aceitas-me como sou. Desejo estar dentro do teu propósito para minha vida".
Esta oração expressa o desejo do seu coração? Se assim for, faça-a agora mesmo e Cristo entrará em sua vida, como prometeu. Você fez esta oração agora?
DIGA: SIM, EU TE ACEITO COMO SENHOR E SALVADOR DA MINHA VIDA.
Amém!

O FAZEDEIRO

Um fazendeiro pobre queria roubar milho do campo de seu vizinho. Levou consigo o filho jovem para servir de vigia. Antes de começar, o pai observou cuidadosamente as redondezas, olhando em todas as direções para assegurar que o caminho estava livre. Vendo que era seguro, estava a ponto de encher a sacola com milho fresco e dourado quando seu filho gritou: “Pai, tem alguém olhando!” O pai entrou em pânico, agarrou a mão do filho e rapidamente abandonaram o campo.Quando chegaram em território neutro, o pai olhou para trás tentando ver quem quase os apanhara. “Onde tem alguém olhando?” questionou o pai, pois não conseguia avistar ninguém. “Deus está olhando!” respondeu o filho.O pai, aguilhoado pela consciência, tomou o menino pela mão e correu para casa sem o milho roubado. “Não se pode enganar a Deus, não se pode enganar outras pessoas.O único que você consegue enganar é você mesmo. E de que vale enganar um tolo?” Tiago 1:21-25 „Pelo que, despojando-vos de toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas. E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Pois se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante a um homem que contempla no espelho o seu rosto natural; porque se contempla a si mesmo e vai-se, e logo se esquece de como era. Entretanto aquele que atenta bem para a lei perfeita, a da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas executor da obra, este será bem-aventurado no que fizer. Gal 6:7-10 „Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Porque quem semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção; mas quem semeia no Espírito, do Espírito ceifará a vida eterna.E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos oportunidade, façamos bem a todos, mas principamente aos domésticos da fé” . Esta mensagem foi enviada por Pastor Antero Kaczan Szynwelski, Misssionário na Polônia.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

JESUS A ÚNICA ESPERANÇA

De acordo com a ONU (Organização das Nações Unidas), existem atualmente 192 países e 52 territórios. Neles, se movimentam uma população de quase 6 bilhões de pessoas (5,8 bilhões em 1996). A ONU estima que o número de habitantes do mundo em 2015 estará entre 7,10 e 7,83 bilhões de pessoas.
A infra-estrutura mundial tem estrutura apenas para 1 bilhão de pessoas. Sabendo disto, então concluímos que cerca de 5 bilhões, vivem sem as condições adequadas de vida e, outros ainda sem nenhuma condição. Praticamente na miséria absoluta.
Estes números têm trazido uma falta de perspectiva, desconforto e desespero para a humanidade. A esperança e a confiança de crer e apostar no futuro, de estar sempre otimista achando que tudo vai melhorar, estão cada vez mais diminuindo, ainda que estejamos no limiar do 3º milênio, quando o mundo inteiro se prepara para uma nova modalidade de vida.
As necessidades do mundo
Aqui, portanto, surge a grande necessidade de Cristo para todas estas pessoas. Jesus deve fazer parte integrante de nossas vidas, deve ser nosso Senhor. Porque em Cristo e por meio dEle nasce uma nova esperança na pessoa humana; não tão somente para o futuro que nos espera, como para o tempo que ainda nos resta aqui nessa terra enquanto estamos vivos, mas também nos diz respeito a eternidade. Nosso futuro após a morte.
Somente Jesus Cristo deve ser o Senhor de nossas vidas, Ele nos oferece condições para enfrentar as batalhas... Por esse motivo Ele tem chamado todos aqueles que ainda não O aceitaram em seu coração: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei”. (Mateus 11:28). Mas não se deixe enganar, pois Ele não está falando de seu cansaço da vida, do trabalho para ganhar o pão de cada dia; Cristo fala do cansaço de levar uma vida vã sem Deus, cheia de pecados e incertezas.
Jesus e os milênios
Jesus Cristo foi a esperança de muitos no milênio passado e muitos nEle creram e salvaram suas almas, e continua sendo a esperança neste milênio presente e nós os cristãos cremos que também será daquele que há de vir.
Nele e por Ele alcançaremos a vitória para nossas almas e também para as nossas necessidades, principalmente as espirituais. Paulo, o grande apóstolo, diz que “Deus segundo suas riquezas, suprirá todas nossas necessidades em glória, por Cristo Jesus”. (Filipenses 4:19). E também aos irmãos de Éfeso: "Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera". (Efésios 3.20); Ele acrescenta quando fala aos de Roma: “Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele (Cristo) todas as coisas?". (Romanos 8.32).
Se você quer ter suas necessidades supridas por Deus juntamente com Jesus Cristo, então você tem que O aceitar de todo o coração, do íntimo do seu ser, então serás salvo, assim receberá em seu coração os três maiores dons de Deus, "Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor." (I Coríntios 13:13). Desta forma, você conseguirá perseverar com Cristo até o fim. Até o dia da decisão final, o dia do juízo. (Apocalipse 20:10-14).
A Vida Eterna
Quando uma pessoa tiver aceitado a Cristo como Senhor e Salvador de sua vida, então terá a vida eterna já garantida nas mãos de Cristo.Existem muitas passagens na Bíblia, a Palavra de Deus, que nos dá a promessa e garantia da vida eterna, mas vamos ver apenas dois versículos do Evangelho de João:
"Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra, e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida". (João 5:24);
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". (João 3:16).

A partir deste momento, esta pessoa torna-se uma nova criatura, um filho de Deus, e nasce em seu coração uma nova perspectiva de vida e uma nova esperança marcada pela confiança inabalável dada com respeito a vida presente e a futura.
"Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele. Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não é manifestado o que havemos de ser. Mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele; porque assim como é o veremos". (I João 3:1-2).
A Decisão
Não seria no momento o seu dilema neste mundo de tantas incertezas? Como você vê seu futuro depois que morrer? Você tem certeza que estará num bom lugar após partir daqui? Garanta tudo isso! É somente olhar para Cristo e Ele tudo fará por você. “Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele tudo fará” (Salmos 37:5).

JESUS CHOROU


"Jesus chorou" (João 11:35).

Sim, Jesus chorou diversas vezes. Cristo, em um de seus ensinamentos as famosas Bem-Aventuranças, declara: "Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados". (Mateus 5:4). A Bíblia nos mostra muitas passagens com Cristo em lágrimas, pelo povo, pela cidade, pelos homens, pela vida: “O qual, nos dias da sua carne, oferecendo, com grande clamor e lágrimas, orações e súplicas ao que o podia livrar da morte, foi ouvido quanto ao que temia" (Hebreus 5:7). “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!" (Mateus 23:37). “E aconteceu que, no dia seguinte, ele foi à cidade chamada Naim, e com ele iam muitos dos seus discípulos, e uma grande multidão; E, quando chegou perto da porta da cidade, eis que levavam um defunto, filho único de sua mãe, que era viúva; e com ela ia uma grande multidão da cidade. E, vendo-a, o Senhor moveu-se de íntima compaixão por ela, e disse-lhe: Não chores. "E, chegando-se, tocou o esquife (e os que o levavam pararam), e disse: Jovem, a ti te digo: Levanta-te. E o defunto assentou-se, e começou a falar. E entregou-o a sua mãe" (Lucas 7:11-15), também pela morte "Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se tu estivesses aqui, meu irmão não teria morrido". (João 11:21)."Jesus pois, quando a viu chorar, e também chorando os judeus que com ela vinham, moveu-se muito em espírito, e perturbou-se". (João 11:33)."Jesus chorou" (João 11:35). que Ele veio para destruir e dar vida. "Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão"? (I Coríntios 15:56). Por isso Ele ressuscitou e nos prometeu: "Declarou-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que morra, viverá; 26 e todo aquele que vive, e crê em mim, jamais morrerá. Crês isto"? (João 11:25-26).
Isaías profetizou a respeito de Jesus, ele sabia que seria um homem que passaria por muitas aflições e dores. "Era desprezado, e rejeitado dos homens; homem de dores, e experimentado nos sofrimentos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum". (
Isaías 53:3). Mas, seria vencedor. "Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo". “Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (João 16:33).
Mas
Jesus chorou também por Ele mesmo. E Seu choro foi diferente das outras vezes, foi tão intenso que seu suor se transformou em gotas de sangue devido ao grande sofrimento “E, posto em agonia, orava mais intensamente. E o seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão" (Lucas 22:44) pelo qual, Onisciente que é, sabia que teria que passar “Pois qual é maior: quem está à mesa, ou quem serve? Porventura não é quem está à mesa? Eu, porém, entre vós sou como aquele que serve" (Lucas 22:27

Vamos ler abaixo relato das dores de Jesus feita por um grande estudioso francês, o médico cirurgião Doutor Barbet dando a possibilidade de compreender realmente as dores de Jesus durante a sua paixão.

Sou um cirurgião, e dou aulas há algum tempo. Por treze anos vivi em companhia de cadáveres e durante a minha carreira estudei anatomia a fundo. Posso, portanto escrever sem presunção a respeito de uma morte como a de Jesus.

E, no Getsemani, "E posto em agonia, orava mais intensamente; e o seu suor tornou-se como grandes gotas de sangue, que caíam sobre o chão". (
Lucas 22:44). Notem que o único evangelista que relata o fato é um médico, Lucas. E o faz com a precisão de um clínico.

O suar sangue, ou hematidrose é um fenômeno raríssimo. É produzido em condições excepcionais. Para provocá-lo é necessário uma fraqueza física, acompanhada de um abatimento moral violento causado por uma profunda emoção, por um grande medo. O terror, o susto, a angústia terrível de sentir-se carregando todos os pecados dos homens devem ter esmagado Jesus.
Tal tensão extrema produz o rompimento das finíssimas veias capilares que estão sob as glândulas sudoríparas, o sangue se mistura ao suor e se concentra sobre a pele, e então escorre por todo o corpo até a terra.
Conhecemos a farsa do processo preparado pelo Sinédrio hebraico, o envio de Jesus a Pilatos “E, levantando-se toda a multidão deles, o levaram a Pilatos" (Lucas 23:1), e o desempate entre o procurador romano e Herodes. Mesmo não vendo culpa em Cristo "Então Pilatos saiu outra vez fora, e disse-lhes: Eis aqui vo-lo trago fora, para que saibais que não acho nele crime algum" (João 19:4). "E disse Pilatos aos principais dos sacerdotes, e à multidão: Não acho culpa alguma neste homem" (Lucas 23:4). “Disse-lhes: Haveis-me apresentado este homem como pervertedor do povo; e eis que, examinando-o na vossa presença, nenhuma culpa, das de que o acusais, acho neste homem" (Lucas 23:14). "Nem mesmo Herodes, porque a ele vos remeti, e eis que não tem feito coisa alguma digna de morte" (Lucas 23:15) e "Falou, pois, outra vez Pilatos, querendo soltar a Jesus" (Lucas 23:20). Pilatos cede, e então ordena a flagelação de Jesus. Os soldados despojam Jesus e o prendem pelo pulso a uma coluna do pátio. “Castigá-lo-ei, pois, e soltá-lo-ei" (Lucas 23:16) e “Pilatos, pois, tomou então a Jesus, e o açoitou" (João 19:1).
A flagelação se efetua com tiras de couro múltiplas sobre as quais são fixadas bolinhas de chumbo e de pequenos ossos. Os carrascos devem ter sido dois, um de cada lado, e de diferente estatura. Golpeiam com chibatadas a pele, já alterada por milhões de microscópicas hemorragias do suor de sangue. A pele se dilacera e se rompe; o sangue espirra. A cada golpe Jesus reage em um sobressalto de dor. As forças se esvaem; um suor frio lhe impregna a fronte, a cabeça gira em uma vertigem de náusea, calafrios lhe correm ao longo das costas. Se não estivesse preso no alto pelos pulsos, cairia em uma poça de sangue.
Depois o escárnio da coroação. Com longos espinhos, mais duros que os de acácia, os algozes entrelaçam uma espécie de capacete e o aplicam sobre a cabeça. Os espinhos penetram no couro cabeludo fazendo-o sangrar (os cirurgiões sabem o quanto sangra o couro cabeludo). "E diziam: Salve, Rei dos Judeus. E davam-lhe bofetadas" (João 19:3). “E, tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça, e em sua mão direita uma cana; e, ajoelhando diante dele, o escarneciam, dizendo: Salve, Rei dos judeus" (Mateus 27:29). Pilatos, depois de ter mostrado aquele homem dilacerado à multidão feroz, o entrega para ser crucificado. “Então Pilatos julgou que devia fazer o que eles pediam. E soltou-lhes o que fora lançado na prisão por uma sedição e homicídio, que era o que pediam; mas entregou Jesus à vontade deles" (Lucas 23:24-25) e "Então, conseqüentemente entregou-lho, para que fosse crucificado. E tomaram a Jesus, e o levaram" (João 19:16).
Colocam sobre os ombros de Jesus o grande braço horizontal da cruz; pesa uns cinqüenta quilos. A estaca vertical já está plantada sobre o Calvário. Jesus caminha com os pés descalços pelas ruas de terreno irregular, cheias de pedregulhos. Os soldados o puxam com as cordas. O percurso é de cerca de 600 metros. Jesus, fatigado, arrasta um pé após o outro, freqüentemente cai sobre os joelhos. E os ombros de Jesus estão cobertos de chagas. Quando ele cai por terra, a viga escapa-lhe, escorrega, e esfola-lhe o dorso. Sobre o Calvário tem início a crucificação.
Os carrascos despojam o condenado “Tendo, pois, os soldados crucificado a Jesus, tomaram as suas vestes, e fizeram quatro partes, para cada soldado uma parte; e também a túnica. A túnica, porém, tecida toda de alto a baixo, não tinha costura. Disseram, pois, uns aos outros: Não a rasguemos, mas lancemos sortes sobre ela, para ver de quem será. Para que se cumprisse a Escritura que diz: Repartiram entre si as minhas vestes, E sobre a minha vestidura lançaram sortes. Os soldados, pois, fizeram estas coisas" (João 19:23-24), mas a sua túnica está colada nas chagas e tirá-la produz dor atroz. Quem já tirou uma atadura de gaze de uma grande ferida percebe do que se trata. Cada fio de tecido adere à carne viva: ao levarem a túnica, dilaceram-se as terminações nervosas postas em descoberto pelas chagas. Os carrascos dão um puxão violento. Há um risco de toda aquela dor provocar uma síncope, mas ainda não é o fim. O sangue começa a escorrer.
Jesus é deitado de costas, as suas chagas incrustam-se de pedregulhos. Depositam-no sobre o braço horizontal da cruz. Os carrascos tomam as medidas. Com uma broca, é feito um furo na madeira para facilitar a penetração dos pregos. Os carrascos pegam um prego (longo, pontudo e quadrado), apóiam-no sobre o pulso de Jesus, com um golpe certeiro de martelo o plantam e o rebatem sobre a madeira. Jesus deve ter contraído o rosto assustadoramente. O nervo mediano foi lesado. Pode-se imaginar aquilo que Jesus deve ter provado; uma dor alucinante, agudíssima, que se difundiu pelos dedos, e espalhou-se pelos ombros, atingindo o cérebro. A dor mais insuportável que um homem pode provar, ou seja, aquela produzida pela lesão dos grandes troncos nervosos provoca uma síncope e faz perder a consciência. Em Jesus não. O nervo é destruído só em parte: a lesão do tronco nervoso permanece em contato com o prego: quando o corpo for suspenso na cruz, o nervo se esticará fortemente como uma corda de violino esticada sobre a cravelha. A cada solavanco, a cada movimento, vibrará despertando dores dilacerantes. Um suplício que durará três horas.

O carrasco e seu ajudante empunham a extremidade da trava; elevam Jesus, colocando-o primeiro sentado e depois em pé; conseqüentemente fazendo-o tombar para trás, O encostam na estaca vertical. Depois rapidamente encaixam o braço horizontal da cruz sobre a estaca vertical. Os ombros da vítima esfregam dolorosamente sobre a madeira áspera. As pontas cortantes da grande coroa de espinhos penetram o crânio. A cabeça de Jesus inclina-se para frente, uma vez que o diâmetro da coroa o impede de apoiar-se na madeira. Cada vez que o Mártir levanta a cabeça, recomeçam pontadas agudas de dor.

Pregam-lhe os pés. Ao meio-dia Jesus tem sede. Não bebeu desde a tarde anterior. Seu corpo é uma máscara de sangue. A boca está semi-aberta e o lábio inferior começa a pender. A garganta, seca, queima-lhe, mas ele não pode engolir. Tem sede. Um soldado estende-lhe sobre a ponta de uma vara uma esponja embebida com vinagre (bebida ácida), em uso entre os militares. Tudo aquilo é uma tortura atroz. “E logo um deles, correndo, tomou uma esponja, e embebeu-a em vinagre, e, pondo-a numa cana, dava-lhe de beber". (
Mateus 27:48; “E um deles correu a embeber uma esponja em vinagre e, pondo-a numa cana, deu-lho a beber, dizendo: Deixai, vejamos se virá Elias tirá-lo" (Marcos 15:36). “E também os soldados o escarneciam, chegando-se a ele, e apresentando-lhe vinagre" (Lucas 23:36); “Depois, sabendo Jesus que já todas as coisas estavam terminadas, para que a Escritura se cumprisse, disse: Tenho sede. Estava, pois, ali um vaso cheio de vinagre. E encheram de vinagre uma esponja, e, pondo-a num hissope, lha chegaram à boca" (João 19:28-29).
Um estranho fenômeno se produz no corpo de Jesus. Os músculos dos braços enrijecem-se em uma contração que vai se acentuando: os deltóides, os bíceps esticados e levantados, os dedos curvam-se. E como acontece a alguém ferido de tétano. A isto que os médicos chamam tetania, quando os sintomas se generalizam: os músculos do abdômen enrijecem-se em ondas imóveis. Em seguida, aqueles entre as costelas, os do pescoço, e os respiratórios. A respiração se faz pouco a pouco mais curta. O ar entra com um sibilo, mas não consegue mais sair. Jesus respira com o ápice dos pulmões. Tem sede de ar: como um asmático em plena crise, seu rosto pálido pouco a pouco se torna vermelho, depois se transforma num violeta purpúreo e enfim em cianótico.
Jesus é envolvido pela asfixia. Os pulmões cheios de ar não podem mais se esvaziar. A fronte está impregnada de suor, os olhos saem fora de órbita. Mas o que acontece? Lentamente com um esforço sobre-humano, Jesus toma um ponto de apoio sobre o prego dos pés. Esforça-se a pequenos golpes, se eleva aliviando a tração dos braços. Os músculos do tórax se distendem. A respiração torna-se mais ampla e profunda, os pulmões se esvaziam e o rosto recupera a palidez inicial.

Por que este esforço? Porque Jesus quer falar: “E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes" (Lucas 23:34). "Jesus, porém, dizia: Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem...". (
Lucas 23:34). Logo em seguida o corpo começa afrouxar-se de novo, e a asfixia recomeça. Foram transmitidas sete frases pronunciadas por ele na cruz: cada vez que quer falar, deverá elevar-se tendo como apoio o prego dos pés. Inimaginável! Atraídas pelo sangue que ainda escorre e pelo coagulado, enxames de moscas zunem ao redor do seu corpo, mas ele não pode enxotá-las. Pouco depois o céu escurece, o sol se esconde: de repente a temperatura diminui. Logo serão três da tarde, depois de uma tortura que dura três horas. “E era já quase a hora sexta, e houve trevas em toda a terra até à hora nona, escurecendo-se o sol" (Lucas 23:44). “E desde a hora sexta houve trevas sobre toda a terra, até à hora nona" (Mateus 27:45). “E, chegada a hora sexta, houve trevas sobre toda a terra até a hora nona" (Marcos 15:33). Todas as suas dores, a sede, as cãibras, a asfixia, o latejar dos nervos medianos arrancam-lhe um lamento: "E, à hora nona, bradou Jesus em alta voz: Eloí, Eloí, lamá, sabactani? que, traduzido, é: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste"? (Marcos 15:34); “E perto da hora nona exclamou Jesus em alta voz, dizendo: Eli, Eli, lamá sabactâni; isto é, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?" (Mateus 27:46). “ Jesus grita: Tudo está consumado! "Jesus, clamando com grande voz, disse: Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito. E, havendo dito isso, expirou. (Lucas 23:46).

Assim Ele morre em meu lugar... E no seu Eu já reconheci isto e você o que espera?

terça-feira, 27 de maio de 2008

Pastor Abigail Carlos de Almeida, Presidente do Ministério FAMA/GO. Pastor José Fernandes, Presidente do Campo de Cruz Alta/RS. Esposas Missionária Abigail e Pastora Nair.

Pastor ABIGAIL CARLOS DE ALMEIDA, nosso Pastor Presidente do Ministério FAMA, Goiânia/GO e Vice-Presidente do Ministério de Madureira no Brasil e no mundo.

Pastor LUCIANO MÁRCIO BIASI, da cidade de Panambí/RS, Pastor CARLOS ANTÔNIO e ANTÔNIO CARLOS, ambos da sede do Ministério FAMA, Goiânia/GO. São três homens de Deus, os quais muito me honra pertencermos à mesma família FAMA/MADUREIRA. São verdadeirtos servos do Deus Altíssimo. Muito amados, que Deus os abençõe eternamente.

Pastor JOÃO AMILTON, Pastor ROMEU, Co-Pastor do Ministério FAMA e o Pastor ANTÔNIO CARLOS, rescentemente, transferido para a sede do Ministério FAMA em Goiânia/GO.

NOSSO PRESIDENTE NACIONAL/MUNDIAL DE MADUREIRA

O Pastor JOÃO AMILTON, fotografado ao lado do Bispo Doutor MANOEL FERREIRA, Presidente da CONAMAD, durante a Convenção Nacional de 2008, na Capital Federal.

CONSAGRAÇÃO DO PASTOR JOÃO AMILTON

No dia 21 de abril de 2008, na Convenção Nacional das Assembléia de Deus do Brasil Ministério de Madureira, o Pastor JOÃO AMILTON DE ANUNCIAÇÃO foi consagrado ao pastorado. Nas fotos abaixo, esta recebendo a condecoração pelo Pastor NOÉ VARGAS, Presidente da Convenção Estadual das Assembléias de Deus do Brasil Ministério de Madureira, no Estado do Rio Grande do Sul.











LOUVOR - VÍDEO

segunda-feira, 26 de maio de 2008

UM PASTORADO VERDADEIRO

Vivenciamos tempos difíceis, onde encontramos homens amantes de si mesmos, homens que não medem esforços para se beneficiar das coisas alheias. Deparamo-nos com homens que sem esforço algum, tentam levar vantagens em tudo, com o intuito de fragelar aqueles que se opunham às suas convicções malignas. Diante de uma conjuntura imoral, são homens que passam por cima de tudo, simplesmente com a idéia de que seus projetos têm que ser realizados a qualquer custo. No meio de uma sociedade corrompida por seus maus costumes, onde esses amantes de si mesmo, somente querem gozar de privilégios, é que nos deparamos com homens preocupados em mostrar a verdade, ou seja, o de por seus atos, atitudes, ou mesmo palavras, em risco, simplesmente para ajudar àqueles que lhe buscam e mesmo aqueles que lhes ignoram. Diante de tudo isso, encontramos pessoas comprometidas com a verdade, que se despojam de si mesmos, em prol daqueles que realmente estão passando por necessidades. É neste contexto, que encontramos verdadeiros lutadores, vencedores, num universo pequeno de ceifeiros, que são comprometidos em apregoar as verdades bíblicas, de ensinar os mandados de Jesus, para todos aqueles que o buscam. São homens assim, que abrilhantam a Obra redentora de Cristo, neste ínterim de levar pessoas das trevas, para a maravilhosa luz de Jesus. A Bíblia relata tantos homens que por suas atitudes, mudaram a história da humanidade, por serem modelos de fé, por incansáveis sacrifícios dispensados à Obra que Deus os colocou em suas mãos. É de homens abnegados que Deus precisa. São homens que dão um verdadeiro modelo de vida. Neste prisma, é que grifo em meio a tantos homens lutadores e vencedores, a pessoa abrilhantada do Pastor JOÃO AMILTON, que humildemente tem dado crescimento para a Santa Obra de Deus, sendo o próprio Deus, quem confiou em suas mãos, esta Congregação da Assembléia de Deus Ministério de Madureira de Palmeira das Missões, por ver capacidade e integridade em sua vida. Parabéns filho do Deus Altíssimo, és um servo fiel e verdadeiro, que não se abala diante das dificuldades, diante de trapaças mundanas, mas permanece fiel. Sigas assim e receberas a coroa da vida. Sê fiel. (Autor que não quis se identificar).

PASTOR JOAO AMILTON, UM HOMEM COMPROMETIDO COM A VERDADE

Vivenciamos tempos difíceis, onde homens procuram satisfazer seus próprios desejos, suas próprias concupciências. É em meio de tantos, que encontramos pessoas realmente preocupadas em falar e apregoar a verdade de Deus. Homens que enfrentam lutas, passam por humiliações, são traídos, mas permanecem firmes e inabaláveis, porque têm em seus corações, o desejo de serem fiéis, de serem verdadeiros adoradores e ajudadores de Cristo, em meio a um povo tão sofrido e necessitado de ouvir a verdade. São de homens com este estirpe, que são chamados de "mais do que vencedores", que não medem esforços para ajudar aqueles que estão passando por dificuldades, necessitados espirituais e materiais, que se doam para que estes sejam ajudados e tenham melhores dias. Na história dos homens de Deus, encontramos muitos exemplos, exemplos de homems que morreram por uma causa justa e que não se desviaram, nem trairam para que seus bons intentos fossem idealizado. É nesse prisma, que aludimos o presente discurso, à pessoa do Pastor JOÃO AMILTON, homem de caráter nobre, que não mede esforços para realizar a amada Obra de Deus, o qual depositou confiantemente nas mãos deste servo, por ver nele, um homem fiel e digno de realizar trabalhos de pastorado, e de ser um extensor do evangelho de Cristo na terra, em meio a momentos de tantas dificuldades, mas que sem se abnegar, desenvolve suas tarefas com amor e perseverança. Parabéns, continues fiel e receberás a coroa da vida. Não olhe para aqueles que te abandonam, pois seria olhar para trás, mas olhe parea Jesus Cristo, o autor e consumador da fé. (Anônimo).

TRAIÇÃO - UM MAL QUE NUNCA SE ACABARÁ

O anúncio da traição foi desconcertante para o grupo de discípulos. Independentemente de qualquer cultura, a traição é sempre um ato abominável. De modo especial, entre pessoas cujas vidas foram postas em comum, e nas quais se depositava toda confiança. Isto explica a surpresa dos discípulos quando Jesus anunciou que um deles haveria de traí-lo. E Judas, filho de Tiago; e Judas Iscariotes, que foi o traidor (Lc 16,16). E essa surpresa foi maior, quando o traidor foi identificado com Judas, filho de Simão Iscariotes. O evangelista João disse várias vezes que se tratava de um ladrão. Logo, alguém de caráter duvidoso, de quem se pode esperar tudo. A traição seria apenas mais uma manifestação da personalidade malsã deste discípulo. Os evangelhos, em geral, referem-se a Judas como alguém que vendeu sua própria consciência ao aceitar entregar o Mestre por um punhado de dinheiro.
Até que ponto se pode confiar em alguém com as características de Judas Escariotes. Os inimigos ocultos são aqueles que andam conosco, comem na mesma mesa, desfrutam das mesmas atividades e, até mesmo, se dizem nossos amigos. Judas era conhecido de todos os discípulos, mas somente Jesus sabia que o iria traí-lo. Infelizmente, nós pobres mortais, estamos longe da oniciência de Cristo e à merce de falsos profetas e de pessoas que sem nenhuma virtude espiritual, querem se apresentar como servos de Deus, e mais uma vez, acabamos sendo enganados. O perigo nos rodeia. Num universo de pessoas que adoram a Deus, como identificá-los. Mais uma vez digo: Infelizmente, eles se infiltram no meio de nosso povo e mais cedo ou mais tarde, se manifestam, mostram suas garras. Mas sempre um estrago é causado, ou seja moral ou espiritual. Ainda bem que Deus sempre nos dá a vitória, porque sabe qual são nossas reais intenções. Pessoas assim são ladrões, os quais não tem a competência de fazer a Obra de Deus às claras e sempre usam de artimanhas, para realizar seus intentos malígnos. O homem de Deus verdadeiro, é aquele que permanece fiel e esta sempre disposto a fazer sua Obra redentora, não com desculpas, com falsas palavras, mas com amor e afinco. Pessoas assim, se passam por bonzinhos, conquistam muitos no meio do povo de Deus, simplesmente com a finalidade de fisgá-los numa oportunidade fútil, na qual agem sorrateiramente, com o único intuíto, o de arrebanhar aqueles que nunca teve a competência de conquistar. A Bíblia diz em João 10,10, que o Diabo veio para roubar, matar e destruir. Roubar aquilo que nunca realizou, criou ou se esforçou para fazê-lo. Para matar a vida espiritual daqueles os quais conseguir enganar. Destruir a verdadeira Obra do Espírito Santo, a qual homens e mulheres de Deus fazem com tanto esforço, amor e trabalho. Esses, são chamados de "pescadores de aquário" que, incopetentemente, lançam seus anzóis malígnos, com a isca da falsa promessa, de dar posição dentro de seus falsos templos, para simplesmente tirá-los de onde Deus os colocou, e de os afundar num verdadeiro abismo espiritual. Judas Escariotes se deixou ser levado pela ganância, de ocupar uma posição que não era a sua, de trair aquele que era seu verdadeiro amigo e mestre, mas felizmente, o resultado do traidor foi a sua própria ruina, e ficou conhecido na história, como um fraco, incopetente e ganancioso. Assim são todos aqueles que querem ocupar posições, lugares para os quais Deus nunca os chamou. (Pastor João Amilton - Servo do Deus Altíssimo).

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

SALMO 23

O Senhor é o meu pastor
A criação de ovelhas era uma das atividades econômicas mais comuns em Israel e em outras nações na época do Velho Testamento. Davi, antes de ser rei, foi pastor de ovelhas (I Samuel 16.11). Ao escrever o salmo 23, o autor tinha em mente todo o seu cuidado para com as ovelhas e tomou isso como exemplo do cuidado de Deus para conosco.
Por isso ele disse: "O Senhor é o meu pastor." Davi sabia que Deus, sendo o seu pastor, cuidaria dele. Observe que o salmista utiliza em todo o salmo as conjugações da primeira pessoa do singular. O texto está falando de uma experiência pessoal e intransferível que cada pessoa deve ter com Deus.
"O Senhor é o meu pastor; nada me faltará." Isso não significa que Deus nos dará tudo o que queremos, mas nos dará tudo o que precisamos. Mas isso só acontecerá se o Senhor for realmente o nosso pastor, ou seja, se ele estiver conduzindo as nossas vidas. Se nós só fazemos a nossa própria vontade, escolhendo os caminhos que agradam ao nosso coração, mesmo sendo em direções pecaminosas, então o Senhor não é o nosso pastor. Mas se estamos vivendo de acordo com a sua vontade para nós, então estamos seguindo o Senhor como suas ovelhas. Portanto, tudo começa com compromisso e obediência. Essa é a essência do versículo 1. Se estou comprometido como ovelha, para obedecer e seguir ao Senhor, então ele está comprometido comigo para cuidar de mim e me dar tudo o que preciso.
"Nada me faltará." Está faltando alguma coisa em sua vida? Talvez você pense que sim, mas pense novamente. Muitas vezes temos um ilusório sentimento de falta. Isso pode ser maligno. Deus nos deu pão e achamos que falta manteiga. Deus nos dá manteiga e achamos que falta queijo. Deus nos dá queijo e achamos que falta presunto. Afinal, quando Deus nos deu pão, nossa necessidade já estava plenamente suprida. Ao pensar assim, podemos dizer: Graças a Deus! Obrigado, Jesus! Quando os israelitas atravessavam o deserto, Deus lhes deu o maná. Ele vinha todos os dias, exceto no sábado, quando comiam o que restava do sexto dia. Nunca faltava, mas o povo nunca estava satisfeito (Num.11.4-10). Esta insatisfação chama-se cobiça, concupiscência (Ec.6.7; I Jo.2.16). Queriam carne. Deus lhes deu o que pediam, mas isso lhes fez mal (Num.11.31-35). Precisamos ter cuidado com o que queremos. Não estamos impedidos de orar pedindo algo que não seja pecaminoso. Contudo, precisamos estar dispostos a receber um "não" como resposta. Então, paramos de pedir (II Cor.12.8-9).
"Nada nos faltará." Realmente, nada nos tem faltado. O que precisamos o Senhor nos tem dado. Se alguns desejos legítimos não foram ainda atendidos, sabemos que para tudo Deus tem um tempo certo. Nada nos faltará no momento em que o suprimento se fizer necessário e oportuno.
Algumas vezes Deus nos dá muito mais do que aquilo que precisamos. Então passamos a ter em abundância. O nosso cálice se enche ao ponto de transbordar (v.5). Então podemos ter a alegria de compartilhar com o nosso próximo, não deixando que o seu cálice fique vazio.
A partir do versículo 2 do salmo 23, o autor mostra o que acontece na vida do servo de Deus. Temos aí muitos pontos pontos positivos, como verificamos nos versos 2, 3, 5 e 6: repouso, descanso, segurança (deitar-me faz...), pastos verdejantes (bom alimento), águas tranqüilas, refrigério para a alma, direção (guia-me); justiça; amor; mesa; óleo (unção); bondade e misericórdia. Essas palavras nos mostram que Deus está atento para suprir as necessidades fundamentais do ser humano, abrangendo questões físicas, psicológicas e espirituais. Só não temos aqui artigos que atendam à cobiça e à soberba. Ele não vai nos deixar sedentos, famintos, perdidos e abandonados
Por outro lado, o texto contém também pontos negativos: O vale da sombra da morte no verso 4 e os inimigos no verso 5. A vara (v. 4), enquanto instrumento de disciplina, pode também ser aparentemente negativa, embora seu objetivo seja positivo.
Isso mostra que a vida com Deus não é uma fantasia, um "mar de rosas". As dificuldades fazem parte do caminho. Ele nos leva pelas "veredas da justiça" e vereda é um caminho estreito. Davi se lembrava de que, quando conduzia as ovelhas, encontrava-se com animais predadores que queriam devorá-las. Ele chegou a matar um leão e um urso para proteger o rebanho (I Samuel 17.36). Do mesmo modo, em nossa vida cristã encontramos o diabo, que ruge como leão tentando nos destruir (I Pedro 5.8). Mas o salmista demonstra sua vitória ao dizer: "Não temerei mal algum porque tu estás comigo." Esta talvez seja a frase de maior destaque no salmo: "Tu estás comigo." O mais importante não é o que Deus pode nos dar mas a sua própria presença conosco. Em qualquer lugar em que ovelha estivesse, ficaria tranqüila ao levantar a cabeça e ver o cajado, pois este seria um sinal de segurança pois o pastor estava presente, atento e cuidadoso.
"O Senhor é o meu pastor; nada me faltará." Não nos faltarão bênçãos. Não nos faltarão lutas nem adversários, mas tudo isso cooperará para o nosso bem, pois a bondade e a misericórdia do Senhor sempre nos acompanharão.
O último versículo nos mostra que essa nossa caminhada com o Senhor é eterna. Depois de atravessarmos o vale da sombra da morte neste mundo, entraremos na casa do Senhor. Lá não haverá mais inimigos nem mal algum. O salmo 23 fala da jornada do salmista durante sua vida, como a ovelha que caminha com o pastor durante todo o dia. Quando se aproxima a noite, as ovelhas são recolhidas. Assim será conosco. Seremos recolhidos à casa do Senhor, onde passaremos a eternidade.
Disse Jesus: "Na casa de meu Pai há muitas moradas... Vou preparar-vos lugar... para que onde eu estiver estejais vós também." (João 14.2-3).

O ministério pastoralAlém das considerações sobre nossa relação pessoal com o Senhor, podemos ler o salmo 23 tendo em mente o ministério pastoral exercido na igreja, embora não tenha sido este o objetivo do autor. Através dessa passagem bíblica podemos perceber características necessárias aos pastores e outros líderes, como imitadores e representantes do Sumo Pastor.
O amor (v.3) é o primeiro requisito para o ministério pastoral. O pastor precisa ser bondoso e misericordioso (v.6). Precisa amar ao Senhor, amar as ovelhas, amar a obra de Deus. Em segundo lugar, a justiça (v.3) deve pautar o exercício do ministério. A corrupção, a desonestidade, a mentira, a injustiça e a arbitrariedade não se coadunam com os propósitos de Deus.
O pastor deve alimentar as ovelhas (v.2), dando-lhes o mais puro alimento espiritual, que é a Palavra de Deus. Isso requer preparo, dedicação e habilidade. Muitos estão preocupados é em alimentar-se das ovelhas. O sustento do obreiro é legítimo e necessário. Contudo, não se deve admitir que as ovelhas sejam espoliadas, exigindo-se-lhes contribuições compulsórias ou trabalho forçado. Ofertas sacrificiais podem ser algo maravilhoso, mas devem ser voluntárias por parte daqueles que as realizam, e não resultado de manipulação, pressão ou constrangimento. O pastor deve visar, em primeiro lugar o benefício das ovelhas e não o seu próprio. Se o pastor engorda e as ovelhas definham, algo está muito errado. Tais considerações se referem aos falsos pastores, mas é importante que os verdadeiros também estejam sempre atentos a isso para não incorrerem em erro.
O pastor deve guiar as ovelhas (v.2). Esse ministério inclui o ensino, o aconselhamento, a admoestação, sempre visando o melhor caminho para a ovelha. O líder precisa ajudar seus liderados em suas decisões, mas isso não significa decidir no lugar deles. Esse papel de condutor pressupõe experiência anterior. O pastor só pode levar as ovelhas em caminhos por onde ele mesmo já tenha passado. Assim, observamos que o neófito ou novo convertido não está ainda apto para o ministério (I Tm.3.6). Entusiasmo não substitui a experiência. É muito difícil dizer qual seria o tempo necessário entre a conversão e o ministério, mas o certo é que, antes de ser pastor, a pessoa precisa ser ovelha durante o período suficiente para conhecer os caminhos dos "pastos verdejantes" e as formas de combate ao adversário. O candidato ao ministério deve conhecer muito bem a bíblia e ter também conhecimento de Deus através de experiências espirituais. O tempo que os discípulos tiveram com Jesus antes de exercerem seus próprios ministérios é uma boa referência. O pastor prematuro pode ser uma fonte de heresias, colocando em risco a saúde e a vida das ovelhas.
Guiar não é sinônimo de manipular. A exigência pela obediência tem sido usada por muitos para que seus liderados façam tudo o que o líder quer. Isso, em muitos casos, tem chegado a extremos absurdos. Dizendo ser a vontade de Deus, muitos líderes levam suas ovelhas para o caminho do abismo. Por isso, é importante que cada cristão examine a bíblia, que funciona como bússola para sabermos se a direção dada pelo líder está certa (At.17.11). Se estiver coerente com as Escrituras, então vamos segui-lo, vamos apoiá-lo com nossos recursos e nossas forças. Caso contrário, precisaremos rever nossa posição e compromisso.
Outro fator importante é a pluralidade ministerial na igreja. É importante que haja apóstolos, profetas, evangelistas, pastores e mestres, tudo no plural, conforme está em Efésios 4.11. Esses homens devem atuar em conjunto, devem ouvir uns aos outros, afim de que não prevaleça a vontade de um homem, mas o entendimento da vontade de Deus (At.15).
O líder deve ser um orientador e não um dominador do rebanho (I Pedro 5.1-3). Dominador é aquele que tem o domínio, ou seja, é o Senhor. Somente ele é o dono das ovelhas. Os pastores humanos são cuidadores, orientadores, mas não são os donos. Não está certo o líder querer controlar a vida das pessoas. Ele deve ensinar os princípios divinos para uma vida reta. Depois, deve deixar que cada um decida livremente o que fazer. Não é o líder quem deve decidir sobre o casamento, a casa, o emprego, a viagem ou os negócios dos membros da igreja. Nem deve exigir que tudo lhe seja comunicado no que diz respeito à vida particular. Isso se torna um fardo insuportável, além de não ter fundamento bíblico. Um pastor não deve ser um ditador.
O pastor deve guiar mansamente (v.2). Não basta fazer o trabalho. Precisamos ver como o trabalho está sendo feito. O modo está em destaque: mansamente. A ovelha é um animal dócil e frágil. Precisa de proteção e não de espancamento. Embora existam também bodes no meio do rebanho, nem a eles o Senhor mandou maltratar (II Tm.2.25). Afinal, espiritualmente falando, é muito difícil discernir quem é bode e quem é ovelha. Seria como separar o joio do trigo, e essa tarefa cabe a Deus e não a nós (Mt.13.28-30; Mt.25.33). O pastor precisa ser manso e humilde com suas ovelhas. Mesmo quando falar do pecado, deve fazê-lo com mansidão (Gálatas 6.1), pois o próprio líder, se pecar, desejará ser tratado da mesma forma.
O pastor é aquele que vive para livrar as ovelhas da morte, para salvá-las das garras do leão. Que Deus abençoe os nossos pastores, que tanto têm trabalhado, dando suas vidas pelas ovelhas. Que Jesus, o pastor de todos nós, lhes dê a recompensa pelo seu esforço nessa causa tão nobre.

Templo Sede

Templo Sede
Avenida José Firmino Vilande, 274, Bairro Mutirão, Palmeira das Missões

Congregação de Santo Augusto

Congregação de Santo Augusto
Rua Nonô Prates, 43, Bairro Santa Fé, Santo Augusto

Congregação Frederico Westphalen

Congregação Frederico Westphalen
Rua 137, sn, Bairro Distrito Industrial, Frederico Westphalen, RS

CONEMAD-RS E DEPARTAMENTOS

DIRETORIA CONEMAD-RS 2019-2022

CARGO

NOME

Presidente

Pr. Isaque Saletti dos Santos

1º Vice Presidente

Pr. Moisés dos Santos Lemos

2º Vice Presidente

Pr. Luiz de Bairro

3º Vice Presidente

Pr. Jerônimo Luiz da Silva

4º Vice Presidente

Pr. Valério Ricardo de Melo

5º Vice Presidente

Pr. João Sidnei dos Anjos Mombaque

1º Secretário

Pr. Jussiê Alberto Teixeira

2º Secretário

Pr. Adames Paz da Silva

3º Secretário

Pr. José Fernandes da Silva

4º Secretário

Pr. Peterson Donizete Gomes da Silva

5º Secretário

Pr. Paulo Alaert Martins

1º Tesoureiro

Pr. Emerson Fabiano Chaves

2º Tesoureiro

Pr. Jonas Cemim de Borba

1º Conselheiro Fiscal

Pr. Paulo de Souza

2º Conselheiro Fiscal

Pr. Lindomar Silveira Prestes

3º Conselheiro Fiscal

Pr. Carlos Roberto Silva dos Santos

1º Sup. Vice Presidente

Pr. Marlon Almeida Santos

2º Sup. Vice Presidente

Pr. José Alvori Lemos dos Reis

3º Sup. Vice Presidente

Pr. Jacó Luiz Martiny

4º Sup. Vice Presidente

Pr. Vandir de Bairro

5º Sup. Vice Presidente

Pr. Jeremias Feliciano Dias

1º Sup. Secretário

Pr. Gideon Dias Barros

2º Sup. Secretário

Pr. Osnei de Oliveira da Silva

3º Sup. Secretário

Pr. Pedro Enio Rodrigues

4º Sup. Secretário

Pr. Rogério da Silva

5º Sup. Secretário

Pr. João Amilton de Anunciação

DIRETORIA CIBE RS

CARGO

NOME

Presidente de Honra

Missionária Sandra Regina de Melo

Presidente de Honra

Pra. Regina Vargas

Presidente de Honra

Pra. Nair Prestes

Presidente

Pra. Marilene Lemos

1ª Vice Presidente

Pra. Esdra dos Santos

2ª Vice Presidente

Pra. Nelci Martins

3ª Vice Presidente

Pra. Helena da Silva

4º Vice Presidente

Pra. Beatriz Mombaque

5º Vice Presidente

Pra. Valéria Cabreira

ASSESSORAS REGIONAIS

Rio Grande

Pra. Débora Godoi de Melo

Porto Alegre

Misª. Eloíza Mann

Rolante

Misª. Edineia Borba

Catuípe

Misª. Fabiana

Farroupilha

Pra. Marlei de Bairro

Santiago

Pra. Cibele Martins

Tramandaí

Pra. Nelci Martins

TESOUREIRAS

1ª Tesoureira

Pra. Janete Paz

2ª Tesoureira

Pra. Rosane da Luz

3ª Tesoureira

Pra. Rosangela da Silva

4ª Tesoureira

Misª. Angela Lima

5ª Tesoureira

Misª. Neiva Vargas

SECRETARIA

Secretária Executiva

Misª. Marcia Prestes

1ª Secretária

Misª. Gilda Martins Dias

2ª Secretária

Misª. Michelle Teixeira

3ª Secretária

Misª. Andrea Martiny

4ª Secretária

Misª. Dienefer Mongelos

5ª Secretária

Misª. Elenir Bitencourt

DIRETORIA UMADERSUL

CARGO

NOME

Presidente

Pr. Cleber Lima

1ª Vice Presidente

Pr. Maicon Rafael dos Santos

2ª Vice Presidente

Pr. Marlon Santos

3ª Vice Presidente

Pb. Gabriel Wolmann

TESOURARIA

1ª Tesoureiro

Pr. Clayton Graciano Ferreira

2ª Tesoureiro

Ev. Wiliam Oliveira Machado

SECRETRARIA

1ª Secretária

Glaucia Teixeira

2ª Secretária

Emelin Borba

3ª Secretária

Dc. Oséas Govea

SECRETARIA DE MISSÕES – SEMMIRS

CARGO

NOME

Diretor

Pr. Franco Gonçalves Laus

1ª Vice Diretor

Pr. Marcos Moreira

REGIONAIS

Fronteira

Pr. Edson Rodrigues de Farias

Serra/Farroupilha

Pr. Josuel Vargas da Cruz Vieira

Litoral/Tramandaí

Ev. Filipi Domingos Moreira

COORDENADORIA DE PROJETOS

Coord. Proj. Interior

Pr. Jussiê Alberto Teixeira

Coord. Proj. Capital

Pr. Marlon Santos

TESOURARIA

1º Tesoureiro

Ev. Josias Moreira Thomas

2ª Tesoureira

Pra. Rosane da Luz

SECRETARIA

Secretário Executivo

Pb Eliel Silveira Prestes

INTERCESSÃO

Líder

Misª Karine Laus

Intercessora

Misª Marcia Moreira

Intercessora

Misª Michelle Teixeira

Intercessora

Rosmari Da silva Vieira

DIRETORIA DO CAMPO DE PALMEIRA DAS MISSÕES - ANO 2021

CAMPO DE PALMEIRA DAS MISSÕES
DIRETORIA EXECUTIVA - ANO 2021

PRESIDÊNCIA:
Pastor
JOÃO AMILTON DE ANUNCIAÇÃO.

VICE-PRESIDÊNCIA:
Primeiro Vice-Presidente, Presbítero MOISÉS MENDES BATALHA;
Segundo Vice-Presidente, Pastor JACOB VANDERLEI PORTOLAN.

SECRETARIA:
Primeira Secretário, Diácono GABRIEL CABREIRA DE ANUNCIAÇÃO;
Segunda Secretária, Pastora MARTHA VALÉRIA LOPES CABREIRA DE ANUNCIAÇÃO..

TESOURARIA
Primeira Tesoureira, Diaconisa
ODILA STEPHANINI BATALHA;
Segunda Tesoureira, Missionária
ROSIMARI OLIVEIRA DA ROCHA.

CONSELHO FISCAL E ADMINISTRATIVO:
Pastor PAULO MARCELO DA SILVA LOPES;
Evangelista ABEL MARTINS MATTOS;
Diaconisa HELGA SCHOCKAL LENCINA.


IGREJA SEDE:
PALMEIRA DAS MISSÕES - BAIRRO MUTIRÃO
Pastor JOÃO AMILTON DE ANUNCIAÇÃO.

CONGREGAÇÃO SANTO AUGUSTO:
Pastor JACOB VANDERLEI PORTOLAN.

CONGREGAÇÃO FREDERICO WESTPHLEN:
Pastor HERMÍNIO DA COSTA LIMA.

CONGREGAÇÃO IRAÍ:
Presbítero EVANDRO BARBOSA.


CÍRCULO DE ORAÇÃO - OBREIRAS DIRIGENTES:

PALMEIRA DAS MISSÕES - SEDE
Dirigente, Pastora MARTHA VALÉRIA LOPES CABREIRA DE ANUNCIAÇÃO;
Missionária ROSIMARI OLIVEIRA DA ROCHA;
Missionária MICHELE BORGES DA SILVA.

CONGREGAÇÃO SANTO AUGUSTO
Dirigente, Missionária ANGELA ROSANE PORTOLAN.

CONGREGAÇÃO FREDERICO WESTPHALEN
Dirigente, Missionária ANGELA MARA TEIXEIRA LIMA.

CONGREGAÇÃO IRAÍ
Dirigente, Irmã ROSA BARBOSA.

RELAÇÃO DE OBREIROS CAMPO PALMEIRA DAS MISSÕES - 2021

001 - PALMEIRA DAS MISSÕES – SEDE:

Pastor Presidente JOÃO AMILTON DE ANUNCIAÇÃO,

Pastora MARTHA VALÉRIA LOPES CABREIRA DE ANUNCIAÇÃO,

Evangelista ABEL MARTINS MATTOS,

Missionária ROSIMARI OLIVEIRA DA ROCHA,

Presbítero MOISÉS MENDES BATALHA,

Diaconisa HELGA SCHOKAL LENCINA,

Diaconisa ODILA STEPHANINI BATALHA,

Diaconisa OLINTA ROZANI NIEDERAUER GUTLER,

Diácono GABRIEL CABREIRA DE ANUNCIAÇÃO.

002 - SANTO AUGUSTO:

Pastor JACOB VANDERLEI PORTOLAN,

Missionária ÂNGELA ROSANE PORTOLAN,

Evangelista GILMAR KOWALSKI,

Presbítero VILSON PICCO,

Presbítero ISAÍAS BUENO PINHEIRO,

Diaconisa ROSIMARI CAMARGO PICCO,

Diaconisa ELEONIR TERESINHA CHAVES KOWALSKI.

003 - FREDERICO WESTPHALEN:

Pastor HERMÍNIO DA COSTA LIMA,

Missionária ÂNGELA MARA TEIXEIRA LIMA,

Diaconisa EDINARA BRIZOLLA PAES.

004 - IRAÍ:

Presbítero EVANDRO BARBOSA.

Pórtico de Palmeira das Missões

Pórtico de Palmeira das Missões