NOSSA MISSÃO

A Igreja Evangélica Assembléia de Deus de Palmeira das Missões Ministério de Madureira, tem a missão de fazer a diferença no Reino de Deus em Palmeira das Missões, no Rio Grande do Sul, no Brasil e em outros países do mundo. Pois nossos objetivos nos levam a sermos uma igreja alicerçada na Palavra de Deus primando pela salvação das almas, levando o evangelho a toda a criatura fazendo sempre a vontade de Deus, reconhecendo que o Senhor Jesus Cristo é o Senhor e Salvador de todos nós, para que os homens sejam servos obedientes e bons dispenseiros da multiforme graça do Senhor. Ministério de Madureira Uma Igreja Feliz! Contatos: 55.99998.3905, 55.984278599 e 55.99915.8554.

IEADEMMAD

IEADEMMAD
IEADEMMAD

CONAMAD - CONEMAD/RS - IEADEMMAD

CONAMAD - CONEMAD/RS - IEADEMMAD

Nossos Cultos!

Nossos Cultos!

segunda-feira, 15 de junho de 2020

O Amor Verdadeiro!


QUANDO SE DESCOBRE O AMOR!

O Apostolo Paulo, Rav Shaul, na Primeira Carta a Igreja de Corinto, no Capitulo treze, começa no seu primeiro versículo com um dos poemas mais lindo das Santas Escrituras: 1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine”. 2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. 3 E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria (Versos 1, 2 e 3). Podemos imaginar tantas coisas que queremos fazer por toda uma vida, mas se não tivermos amor naquilo que fazemos, logo nosso trabalho será em vão. O Apostolo Paulo esta nos ensinando de que a vida é tão breve e muitas vezes queremos viver de forma a ignorar aos que estão ao nosso lado, que estão próximos de nós como se não existissem. Muitos de nós vivemos isolados no meio da multidão nos sentindo sozinhos, independentes dos outros e nos tornamos pessoas amargas, muitas vezes cruéis para com os nossos semelhantes e mesmo para com os nossos familiares. Tudo que fazemos é na individualidade e não queremos dividir algo que temos, que conhecemos ou que possuímos para com os nossos semelhantes. A ignorância do homem faz com que se sinta superior aos demais e pela sua estupidez se afaste mais dos demais e fique como um ser inanimado sem amor, amizade e sem qualquer tipo de relacionamento intimo ou de uma amizade sincera.

Todos querem ser amados, serem acolhidos e receberem todos os tipos de afetos. Isso faz parte do ser humano. Verdadeiramente é um sentimento que todos possuímos. Na maioria das vezes as pessoas dizem que amam, mas não amam. Não amam porque na realidade traem, mentem, acusam sem sentir um verdadeiro amor. O amor ágape é um amor incondicional que o ser humano não tem e não poder viver ou sentir porque é o amor supremo, amor que somente o Criador, o Eterno de Israel possui. Esse amor é incomparável. Imensurável! Vejamos o que diz a Palavra de Deus: “4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece”. 5 Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; 6 Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; 7 Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta (versos4-7). Quando um amor é verdadeiro, esses sentimentos deverão estar dispostos em nossos corações, nas nossas vidas e em nossas palavras. Quantas pessoas chegam e dizem que amam, mas no primeiro percalço se tornam inimigas e saem destilando ódio e contendas. Com certeza alguém já passou por isso e não será o ultimo. Logo entendemos que esse amor era fingido, não era verdadeiro, mas de puro interesse.

Para finalizar, o Apostolo Paulo revela que existem três coisas que são muito importantes para uma boa convivência de paz e de harmonia dentro desse mundo que vivemos. Vejamos o último versículo desse inusitado capitulo treze que somente nos trás alegria e consolação para as nossas almas: 13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor”.  Viver uma vida sem estas três palavras descritas pelo Apóstolo é viver num mundo vazio e desprovido de qualquer tipo de sentimentos. Viver sem fé, é desagradar ao Criador de todas as coisas, porque Ele nos ensinou a termos fé, e sabemos que sem e impossível agradar a Deus (Romanos 11,6). Sem a verdadeira fé é viver sem esperança, de não ter qualquer certeza do dia que chegara no amanha. É viver sem qualquer perspectiva de vida. O rei Davi disse: Coloquei toda minha esperança no Senhor; ele se inclinou para mim e ouviu o meu grito de socorro” (Salmos 40,1) e finalizando, não podemos viver sem amor. Sem amor não poderemos casar, ter filhos e muito menos viver feliz. Creio que seja impossível alguém passar por uma vida e nunca ter desfrutado de um relacionamento de amor, de um sentimento de paixão ou mesmo de saudades. Quem viveu ou esta vivendo assim, com certeza vive uma vida vazia e desprovida de qualquer sentimento de amor. Embora estejamos falando de amor humano, nesse capitulo mencionamos o amor de Deus por todos nós. A Palavra de Deus diz: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (João 3,16). Esse e o maior amor do mundo. Esse amor provém de Deus e é o amor verdadeiro. Boa leitura!

segunda-feira, 8 de junho de 2020

Medo da Morte!

TODOS TEMOS MEDO DE MORRER!

A mensagem desta semana trata de um tema um tanto quanto diferente dos demais que aqui publicamos semanalmente. Muitos temas são de coisas que gostamos de falar, de discutir, de ler e de vivenciar. Mas porque será que a morte trata-se de um tema que poucos gostam ou se atrevem a falar ou discutir? Não importa quanta fé possamos ter, ou quanto acreditamos, mas é necessário buscar não falar sobre a morte. Noventa e nove por cento das pessoas sabem e acreditam, ou talvez mais, que a única certeza que os seres viventes podem ter é a da sua morte. Mas ter medo não é motivo de vergonha, pois é um processo natural de todos, porem muitos tem esse medo. Talvez muitos não saibam, mas o Criador não nos criou para que um dia passássemos pelo crivo da morte, não foi o Seu projeto inicial. O Senhor nos criou para que vivêssemos eternamente com Ele no Paraíso, mas quando Adão e Eva, os primeiros seres humanos desobedeceram as Suas ordenanças, a morte entrou no mundo através do pecado da desobediência e assim alcançou a todos nós. Vejamos o que diz as Santas Escrituras: “Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram (Romanos 5:12).

O que sabemos é que todos estão contaminados pelo pecado! Isso pode ate parecer estranho, mas não é. O que na verdade precisamos é agradecer a Deus com a certeza de que um dia todos vão morrer. Mas se isso não ocorresse, seríamos obrigados a viver neste mundo cheio de injustiças, de maldades por toda a eternidade. Sabemos que a ideia de deixarmos de viver nos traz algum tipo de desconforto, mas isso não é suficiente para perdermos o medo de morrer.

Mas antes de apresentarmos algumas informações que poderão nos ajudar a superarmos esse medo, queremos fazer a seguinte pergunta: Por que você tem medo da morte? O medo te traz alguma sensação de que pode poderá sentir a morte? Ou o medo está relacionado ao modo de como morrerá? Há pessoas que têm medo da morte por não querer se separar das pessoas que amam. Mas isso é muito natural. Outras acreditam que serão esquecidas pelos outros. Bom, isso é um risco que todos corremos. Mas independente do motivo que leva a termos medo da morte, uma coisa é verdadeira: A morte virá e não teremos como escapar.

Contudo temos importantes informações que ajudarão a superar o medo e também a viver com mais alegria e intensidade nos anos de vida que Deus conceder. Primeiro, precisamos receber Jesus como único e Suficiente Salvador! Esta é a melhor maneira de superar o medo e garantir um lugar nos céus. Também e necessário aprender que o que está por vir é muito melhor do que se vive hoje. A Palavra de Deus diz que todos aqueles que reconhecem Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas irão para um lugar infinitamente melhor. O Apóstolo Paulo escreveu a seguinte mensagem: “A nossa cidadania, porém, está nos céus, de onde esperamos ansiosamente um Salvador, o Senhor Jesus Cristo. Pelo poder que o capacita a colocar todas as coisas debaixo do seu domínio, ele transformará os nossos corpos humilhados, para serem semelhantes ao seu corpo glorioso” (Filipenses 3:20-21). Segundo, e preciso buscar crescimento na fé. Todos os que receberam Jesus em suas vidas necessitam crescer espiritualmente. Por isso é preciso aprender a Palavra de Deus com uma vida de oração, Fe, santidade e amor. O Espírito Santo trará paz e conforto para dentro de cada um que assim proceder. Vejamos a confiança do salmista: “Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam” (Salmos 23:4). Esse e o modelo da fé inabalável. Assim será possível ter a certeza da comunhão com Deus. Terceiro, é preciso viver bem todos os dias. Quem vive preocupado com o que vai acontecer depois da morte não é capaz de viver um dia melhor. Precisamos confiar e crer nas promessas do Senhor. O salmista disse: “Os que confiam no Senhor serão como os montes de Sião, que não se abalam, mas permanecem firmes para sempre” (Salmos 125,1).

Para finalizar, tenhamos a esperança que com Cristo Jesus e com os Seus mandamentos, todos possam ter uma vida com abundancia de dias e com garantia de salvação eterna. Vamos Crer?

sábado, 6 de junho de 2020

Lei de Benefícios para Igrejas

PROJETO DE LEI Nr 011/2020

Às 11 horas da manha desta quarta-feira, dia 04 de maio de 2020, estivemos reunidos no Gabinete do senhor Prefeito Municipal de Palmeira das Missões EDUARDO RUSSUMANO FREIRE, Dudu, juntamente com o Vereador SIDINEI OLIVEIRA, da Bancada do Partido Democrático Trabalhista, com os líderes evangélicos desta cidade, Pastor JOAO AMILTON DE ANUNCIAÇÃO, Presidente da Assembleia de Deus Ministério de Madureira, que se fez acompanhado do Primeiro Vice-Presidente, Presbítero MOISÉS MENDES BATALHA. Pastor LUIS FLÁVIO LINDNER DA SILVA, Presidente da Assembleia de Deus da Missão e o Pastor ELISEU AVILA DA SILVA, Presidente da Igreja O Brasil Para Cristo e também a Secretária Geral da OAB local, Doutrora DIONEIA CARON, onde foram sancionadas pelo Chefe do Executivo Municipal, duas importantes leis da autoria do vereador SIDINEI OLIVEIRA, sendo uma delas que “autoriza o Poder Executivo municipal a estabelecer normas de orientações técnicas para construções de templos religiosos e da outras providencias” e a outra lei que institui "o prêmio Advocacia Cidadã”, a fim de reconhecer anualmente os advogados, escritórios de advocacia e acadêmicos de direito que prestam serviços voluntários na comunidade local.

O Projeto de Lei nº 011/2020, que estabelece parcerias com as entidades religiosas locais e o Poder Executivo Municipal, que com certeza trarão um estreitamento nas relações favorecendo assim os trabalhos e a legalização dos templos religiosos em Palmeira das Missões.

Externamos aqui os nossos agradecimentos pela acolhida e pelo reconhecimento da Prefeitura Municipal, Câmara de Vereadores, OAB/RS de Palmeira das Missões, quanto à necessidade de melhor atender aos anseios da comunidade religiosa local.

A Assembleia de Deus Ministério de Madureira na pessoa de seu Pastor Presidente, vem a publico agradecer e parabenizar ao Vereador SIDINEI OLIVEIRA pela brilhante criação de uma lei dessa envergadura e ao Prefeito EDUARDO RUSSOMANO FREIRE, pela sanção da mesma e também por estar sempre pronto a ajudar os nossos trabalhos eclesiásticos nesta cidade. 
Aos demais participantes o nosso muito obrigado.

Fotos:


 MINISTERIO DE MADUREIRA - UMA IGREJA FELIZ!

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Nelson de Anunciaçao


A DOR DO LUTO


Meus queridos irmãos, amigos e leitores desta coluna, queremos nesta oportunidade falar de algo inusitado, mas tão presente em nossas vidas do que a dor do luto. Inevitavelmente, a morte faz parte das nossas vidas. Todos pelo fato de sermos pecadores, passaremos pela triste experiência de sepultarmos os nossos queridos familiares. A veracidade da morte chegará para todos, querendo ou não. Mas será que é possível que estejamos preparados para esse momento tão dolorido da separação? Como agiremos diante de uma tragédia causada pela morte? Pois não poderemos falar aos que estão de luto: “Não chores! Não é direito chorar.” Com certeza estas palavras pouca consolação trarão ao enlutado. Sabemos que não há pecado em chorar. O nosso Senhor Jesus chorou junto ao sepulcro de Seu amigo Lázaro.

A Bíblia nos trás a mensagem que o grande Rei Salomão descreveu: “É melhor ir a uma casa onde há luto do que a uma casa em festa, pois a morte é o destino de todos; os vivos devem levar isso a sério!” (Eclesiastes 7:2). Também aprendemos que entre o povo judeu o período de luto era de sete dias: Chegando à eira de Atade, perto do Jor­dão, lamentaram-se em alta voz, com grande amar­gura; e ali José guardou sete dias de pranto pela morte do seu pai” (Gênesis 50:10).

Sabemos que a morte de um familiar é uma das dores emocionais mais fortes que podemos sentir. Pois quando perdemos alguém muito importante, a nossa resposta é a dor e o sofrimento. Como e difícil nos desfazermos de uma realidade que não voltara mais. O sofrimento nestas ocasiões é, então, algo natural e até mesmo saudável, porque é a forma de expressarmos aquilo que estamos sentindo, dor, tristeza e saudades. Pois o impacto provocado sobre o indivíduo ou família devido à morte de um ente querido é um dos acontecimentos mais estressantes da vida, que gera profundo efeito emocional, pois cria uma crise interna tão grande, que todo o sistema se desorganiza e se desestrutura, causando traumas de dor e do sofrimento.

Todos os membros da família irão reagir de forma diferente, tais diferenças deverão ser respeitadas, pois nem sempre segue uma ordem cronológica, mas aparece e some a partir do estado de choque ou estupor (primeira etapa), para um estado de desconhecimento, desespero, ações automáticas, incapacidade de aceitar a realidade e negação do fato. Acontece também um estado de raiva ou de agressividade, por sentir-se culpado por estar vivo, e acusa-se a si mesmo: se eu estivesse lá; se tivesse feito isso ou aquilo, (segunda etapa) com sentimento de injustiça, desamparo e confusão. Depois vem o estado da desorganização ou de desesperança (terceira etapa), e então começamos a tomar consciência de que nosso ente querido não mais estará entre nós, e assim ocorre a tristeza apática, nostalgia, desinteresse ou até mesmo uma tendência ao abandono, até a instrumentação de certos mecanismos de autocontrole que permitem à pessoa superar o fato que lhe causou tanta dor (quarta etapa).

Mas depois de passar por todas essas sensações de dor, a vida voltará a ser a mesma, pois a perda de um ente querido deixa um vazio e nada vai preencher. Toda essa gama de emoções e de sentimentos que ocorre nesse processo é normal e previsível. Pois a aflição e a dor são intensas. Pois essa dor pode ser expressa de forma física como: chorar, sentir dor no peito, transtornos intestinais, perda do apetite, problemas com o sono, etc.; e de forma emocional e psicológica: tristeza, ataques de ansiedade, fadiga crônica, depressão, pensamentos suicidas, etc., porém sabemos que não é fácil seguir adiante depois da morte de um ente querido. Mas também sabemos que a dor diminuirá com o tempo e terá que ser aceito como um processo natural. É importante não esconder as emoções e não negar a realidade.

Sabemos que para concluir o processo de cura deve-se passar por todas as etapas já mencionadas. Mas poderá haver dias melhores ou piores e, às vezes, o sentimento que se imaginava estar superado volta a se manifestar.

Para finalizar, eu como tantos outros, já perdemos alguns entes queridos, como pais, amigos, mas quero aqui externar a minha dor de ter perdido meu irmão NELSON CAROLO DE ANUNCIAÇAO, no dia 20 de maio do fluente ano, na cidade de Cruz Alta, sabendo que a dor e algo a ser superado por todos nos da família. Boa leitura a todos!

segunda-feira, 4 de maio de 2020

Covid-19

DEUS E O COVID-19 

Meus queridos irmão e amigos leitores, estamos todos numa situação de calamidade. O COVID-19 só reforça uma verdade sobre nossa existência – a vida nunca foi normal, ela sempre foi cheia de crises. Nós estávamos entorpecidos para essa realidade. Foi isso que C. S. Lewis disse quando em 1939, em um culto vespertino na igreja de St. Mary em Oxford pregou um sermão intitulado “Aprendizado em tempos de guerra”: “A guerra [substitua por COVID-19] não cria nenhuma situação absolutamente nova; ela simplesmente agrava a situação humana permanente de tal maneira que não podemos mais ignorá-la. A vida humana sempre viveu à beira do precipício. A cultura humana sempre teve de existir sob a sombra de algo infinitamente mais importante do que ela mesma. […] A vida nunca foi normal. Até mesmo os períodos que julgamos ser os mais tranquilos, como o século XIX, foram, sob um olhar mais acurado, cheios de crises, situações alarmantes, dificuldades e emergências”. 


Portanto o COVID-19 nos coloca perante um espelho que não gostamos de olhar. Vemos em nós mesmos fraquezas, vulnerabilidade, medos e receios. Quando ventos contrários desmoronam nossas falsas ilhas de sustentação, nos deparamos afundando em um mar revolto e infinitamente maior do que nós. Mas vamos ser sinceros nesse momento de reflexão. Algumas pessoas naufragarão nos leitos hospitalares, outras nos desempregos e nas crises financeiras. As pessoas Idosas sabem que são os mais vulneráveis do que os mais jovens. Já as crianças deixarão de ver seus amiguinhos, de estudar e de brincar fora de casa. Nas igrejas todas estarão vazias e fechadas. Os governos estão agindo rapidamente e mudando os planos de gestão em hora de crise, pois muito se mudará daqui para frente e tempo record. A vida esta fora da normalidade, ou melhor, prova mais uma vez que ela sempre foi assim e não como gostaria que fosse. 

No meio a desse cenário apavorador, a pergunta sincera que devemos fazer é: como podemos estar seguros? A resposta é a mesma que Abraão deu quando também estava vivendo uma crise – “Deus proverá” (Gn 22.8). Deus quis colocar Abraão à prova pedindo que ele sacrificasse seu filho querido Isaque, o filho no qual estava a promessa da benção divina. Em meio a essa possível calamidade, Abraão se lembrou de que Deus tinha total controle dos eventos futuros de sua vida e é capaz de resolver coisas bem complexas. Em outras palavras, Abraão cria na doutrina da providência divina. E sim, boa doutrina em tempos de crise mantém a gente de pé e com fé. Abraão seguiu obediente e Deus proveu um cordeiro para sacrifício no lugar do seu filho. Sabemos que nem sempre é assim, nem sempre Deus livrará a gente do “holocausto”, mas podemos ao menos seguir adiante com a mesma fé de Abraão, a fé que descansa em Deus e a maneira dele agir nesse mundo. 

Mas como a doutrina da providência nos ajuda nesse momento? Para respondermos essa pergunta, devemos lembrar-nos de algumas verdades bíblicas importantes: “Quando os dias forem bons, aproveite-os bem; mas, quando forem ruins,considere: Deus fez tanto um quanto o outro, para evitar que o homem descubra alguma coisa sobre o seu futuro” (Ec 7,14). 

Em primeiro lugar, Deus faz com que todas as coisas, boas e ruins, aconteçam de acordo com seu propósito. Isso mesmo, coisas boas e ruins. Deus causa todas elas, não somente permite ou usa elas. Há aqueles que afirmam que Deus somente governa sobre todas as coisas, mas não causa essas situações ruins. Mas “o que é governar senão presidir de tal maneira que as coisas sobre as quais se preside sejam regidas por uma ordem determinada”? “Aprendemos na bíblia que Deus governa ativamente sobre tudo e todos, sendo a “primeira causa” de todos os eventos”.

Mas poderíamos continuar com a lista acima e usar outros exemplos bíblicos. Lembre-se da vida de Jó, a calamidade enfrentada por ele e sua família era incomparável. Logo no capítulo um lemos que seus bois e jumentas foram roubados pelos sabeus. Seus servos foram mortos. Fogo caiu do céu e matou suas ovelhas e pastores. Não bastasse isso, os caldeus atacaram e levaram os camelos, mataram cruelmente os outros empregados. Pior ainda, seus próprios filhos e filhas foram mortos por um vento que bateu contra a casa onde eles comiam. Qual foi a percepção de Jó perante aquela calamidade? ”Então Jó se levantou, rasgou o seu manto, rapou a cabeça, prostrou-se em terra e adorou. E disse: — Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei. O Senhor o deu e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor!" (Jó 1:20-21). Com certeza Jó poderia ter culpado os sabeus e teria razão. Também poderia ter culpado os caldeus e estaria correto. Poderia ter culpado seus filhos por não buscarem proteção suficiente em uma área em que provavelmente esses tipos de “tornados” aconteciam com frequência. Poderia ter achado inúmeras causas para o seu sofrimento, mas ele diz: “O Senhor o deu e o Senhor o tomou”. Ou seja, o Senhor causou toda essa desgraça. Porem Jó conhecia o poder e o amor de Deus. 

Quando conhecemos o amor e as providências do Todo poderoso, sabemos também passar pelas lutas e tribulações. Você crê nisso? Amem! Boa semana a todos!

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Final dos Tempos!

O FINAL DOS TEMPOS X RELIGIÕES

Creio que estamos à beira de um lapso físico espiritual. Nos últimos tempos estamos vivenciando momentos difíceis onde ha falta de amor, de amizade e de compromisso por parte dos seres humanos. Logo compreendemos que tudo isso nos da à certeza de que o fim dos tempos se aproxima. Precisamos entender e buscar ter o conhecimento das coisas hão de acontecer porque o tempo esta próximo. Aqueles que guardarem as Palavras desta Profecia serão chamados de bem aventurados: "Bem-aventurado aquele que lê e bem-aventurados os que ouvem as palavras desta profecia e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo” (Apocalipse 1:3).

Primeiro: As Escrituras Sagradas narram de forma lúcida e concisa sobre o evento tão anunciado nos meios evangélicos que é o Arrebatamento da Igreja. Esse evento esta sendo anunciado pelo mundo todo independente da religião, pois e um fenômeno que atingira a toda a humanidade. Em Mateus 24,4-5 encontramos a seguinte mensagem: "Respondeu-lhes Jesus: Acautelai-vos, que ninguém vos engane. Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; a muitos enganarão".

Segundo: Antes, porém, a Bíblia Sagrada anuncia também um período de muita dor, sofrimento e desespero: Esse período e anunciado por todos os cristãos do mundo todo como o prenuncio da vinda do Messias: "E ouvireis falar de guerras e rumores de guerras; olhai não vos perturbeis; porque forçoso é que assim aconteça; mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino; e haverá fomes e terremotos em vários lugares" (Mateus 24,6-7).

O que está acontecendo a nível mundial no presente momento e o podemos caracterizar como o período de pestes e epidemias, o que esta causando um espanto globalizado, onde pessoas em completo desespero estão morrendo não somente por causa das atuais doenças ou das pestes, mas por causa da depressão, do pavor, do medo e do desespero. A Palavra de Deus narra da seguinte forma: "Guerras, rumores de guerras, fomes, pestes, terremotos. Mas todas essas coisas são o princípio das dores” (MT 24.8).

Também encontramos mais informações bíblicas escatológicas que tratam dos finais dos tempos conforme narra o Evangelho de São Mateus: "E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma a outra extremidade dos céus" (Mateus 24:29-31).

Para o período derradeiro da humanidade, conhecemos as seguintes expressões: O fim dos tempos, tempo do fim, fim do mundo e últimos dias. Não é importante seu título, mas sim o que acontecera neste período descrito nas escatologias de várias religiões, tanto nas abraâmicas quanto as não-abraâmicas, que ensinam que os eventos do mundo alcançarão um clímax final, dando entendimento de que tudo ocorrerá com a vinda de um salvador, e isso atingira a todo o mundo independente da  de cada um.

Nas fés abraâmicas, estas mantêm uma cosmologia linear com os cenários do tempo do fim a conter temas de transformação e redenção. A religião judaica como sendo ha mais antiga e que e a que recebeu dos céus a Palavra diretamente do Senhor (Adonai), Deus (Elohim) de Israel, e seguida por todo o cristianismo, a partir do surgimento do Salvador Jesus Cristo (Yeshua HaMaschiach).

A seguir vamos descrever as maiores religiões espalhadas pelo mundo, seus fundadores, pilares da , e seus locais de maiores abrangências e a quantidade de seus seguidores:


I - JUDAÍSMO

Na religião judaica ou no judaísmo, o termo "fim dos tempos" faz referência à Era Messiânica e inclui um ajuntamento dos judeus exilados na diáspora, a vinda do Messias (Mashiach), a ressurreição dos justos e o mundo vindouro.

O judaísmo é a religião monoteísta que possui o menor número de adeptos no mundo, cerca de 12 a 15 milhões. Essa religião originou-se por volta do século XVIII a.C. O judaísmo é a religião monoteísta mais antiga do mundo. Originou-se por volta do século XVIII a.C., quando Deus mandou Abraão procurar a terra prometida.

O judaísmo defende uma relação especial entre Deus e o povo judeu, manifesta através de uma revelação contínua de geração a geração. O judaísmo crê que a Torá é a revelação eterna dada por Deus aos judeus.

Deus no judaísmo. No Judaísmo a crença é monoteísta (um único criador). O Supremo de Israel era conhecido por um nome principal na Bíblia. Esse nome transliterado YHWH (lê-se iau) é conhecido como o Tetragrama Sagrado. Os livros da Torá e do resto da Bíblia hebraica (exceto Ester) contêm a palavra hebraica יהוה. Com base nas letras hebraicas, sua pronúncia em hebraico seria algo como Iaue. Judeus religiosamente observantes são proibidos de pronunciar o nome de Deus, e ao ler o Tanakh eles usam a palavra Adonai ("Senhor").

Quem são os judeus hoje? É o Estado de Israel. Entre 1948 e 1958, a população judaica cresceu de 800.00 para um milhão. Atualmente, os judeus são 76.4% da população israelense, ou 5.433.842 milhões de cidadãos. Israel, o estado-nação judeu, é o único país onde os judeus são a maioria dos cidadãos. Israel foi estabelecido como um estado democrático e independente em 14 de maio de 1948.

A imigração judaica no Brasil foi um movimento migratório que teve início com a colonização do Brasil, quando judeus sefarditas e cristãos-novos se estabeleceram na colônia. Estima-seque mais de 100 mil pessoas são de religião judaica no Brasil, mas o número de descendentes que não praticam mais o judaísmo é incerto. Segundo as escrituras bíblicas Israel é a terra prometida por Deus aos hebreus, o berço do Judaísmo no século XVII a.C.. Judeus no Brasil de 1500 a 1808: A vinda de imigrantes judeus para o Brasil se fez de maneira descontínua, sujeita às diferentes condições históricas, tanto nos países de origem como no Brasil.


II - CRISTIANISMO

Nas religiões cristãs, os seguidores de Cristo, no cristianismo são retratados o tempo do fim como um período de tribulação que precede a segunda vinda de Cristo, que enfrentará o anticristo com sua estrutura de poder e proclamará o Reino de Deus. 

Dentro do Cristiano existem diferentes correntes teológicas com relação à sequência dos eventos dos fins dos tempos. Na visão pré-tribulacionlista, os eventos ocorrem a partir do “Período das Dores”, Arrebatamento, início da Tribulação (Três anos e meio de uma falsa tribulação, onde o governo mundial não perseguira a igreja e haverá uma falsa liberdade para as religiões, porém nos últimos três anos e meio ou no período final, haverá perseguição total, assassinatos, destruição dos templos, mortes dos cristãos e de todos aqueles que não se curvarem diante do anticristo, etc...).

Esse período nos faz lembrar-se do período negro da igreja catolicista que vendiam indulgências, também conhecidas como perdão pelos pecados e de adquirir um lugar nos céus, quando assassinaram e queimaram em fogueiras os que não compraram a falsa salvação e ou não se renderam a religião pela imposição papal. Esse é o período que a igreja da atualidade tenta esconder e esquecer, o que dá para entender pelos cristãos catolicista da atualidade. 

O que é a origem do cristianismo? Em termos técnicos, o cristianismo é uma religião monoteísta que há cerca de dois mil anos se derivou do judaísmo na região do Oriente Médio. Sua figura central é a pessoa de Jesus Cristo, que se acredita ser o Filho de Deus, a encarnação humana da própria Divindade de acordo com a Bíblia Sagrada.

Quem criou o cristianismo? Muito sangue escorreu até que Roma adotasse o cristianismo. O cristianismo se tornou a religião oficial do Império Romano no ano 380 por ordem do imperador Teodósio I, que tomou a medida numa lei conhecida como Édito de Tessalônica. Na verdade o cristianismo foi criado por todos aqueles que seguiram as doutrinas de Jesus Cristo.

O cristianismo começou a espalhar-se a partir de Jerusalém, e depois por todo o Oriente Médio, acabando por se tornar a religião oficial da Armênia em 301, da Etiópia em 325, da Geórgia em 337, e depois a Igreja estatal do Império Romano em 380, seguido mais tarde por varias denominações evangélico do mudo todo. 

Por que Constantino se converteu ao cristianismo? Como sinal de gratidão, no ano 312 da nossa era, ele declarou que os cristãos não seriam mais perseguidos em seu império e se converteu à fé em Jesus, abrindo caminho para que o cristianismo se tornasse a religião dominante do Ocidente. Estudiosos e teólogos do mundo todos afirmam que a decisão de conversão de Constantino foi um ato político e não de uma verdadeira , pois se converteu para apaziguar o povo que se depredava por causa da religião. 

Constantino sob a inspiração do lema “um Deus no Céu, um Imperador na Terra”, Constantino proclamou em 313 o Édito de Milão, lei que garantia liberdade para cultuar qualquer deus, o que seria fundamental para a futura conversão total do império à religião.

Em que ano o cristianismo chegou ao Brasil? O cristianismo chegou ao Brasil já no descobrimento territorial por parte dos portugueses em 1500, com o catolicismo e em 1532 chega o primeiro protestante, sendo que umas das primeiras ações de Pedro Álvares Cabral foi organizar uma missa em nosso território e a partir dai acabou por fixar profundas raízes Cristãs no novo pais.


III - ISLAMISMO

Na religião do Islamismo o Dia do Julgamento é precedido pelo aparecimento de al-Masih al-Dajjal e seguido pela descida de Issa (Jesus). Issa triunfará sobre o falso messias, ou o anticristo, o que levará à sequência dos eventos que acabará com o sol a nascer do oeste e o começo do Qiyamah (Dia do Juízo). 

Nas fés não-abraâmicas tendem a ter visões de mundo mais cíclicas, com as escatologias do fim dos tempos caracterizadas por decaimento, redenção e renascimento. 

Muçulmano é todo o indivíduo que pratica o Islã, uma religião monoteísta centrada na vida e nos ensinamentos de profeta Maomé, que teria recebido revelações do Arcanjo Gabriel. Além disso, os muçulmanos também dão ênfase aos dogmas da oração, jejum no mês de Ramadã, peregrinação em Meca e o estudo do Alcorão. Nesse sentido, a maior parte dos árabes, são seguidores do islã, religião surgida na Península Arábica no século VII e que se vê como uma restauração do monoteísmo original de Abraão que, para eles, estaria corrompido pelo judaísmo e cristianismo.

Os cinco pilares são: Fé e orar e aceitar o credo (Chacado, Chahada ou Shahadah); Oração. Orar cinco vezes ao longo do dia, com o fiel voltado em direção a Meca (Salá, Salat ou Salah). Esses são os verdadeiros pilares da fe islâmica,

Descendência dos mulçumanos - Ismaelita. De acordo com o Livro de Gênesis, Ismaelitas (árabe: Bani ismail, hebraico: Bnai Yishma El) são os descendentes de Ismael, o filho mais velho de Abraão, e os descendentes dos doze filhos, os príncipes de Ismael. No Alcorão; "Deus deu dons a todos Ismael, Eliseu, Jonas e Lot favor acima das nações".

Para os muçulmanos, Maomé foi precedido em seu papel de profeta por Jesus, Moisés, Davi, Jacó, Isaac, Ismael e Abraão. Como figura política, ele unificou várias tribos árabes, o que permitiu as conquistas árabes daquilo que viria a ser um califado que se estendeu da Pérsia até à Península Ibérica. O que são seguidores de Maomé. Com cerca de 1,2 bilhão de seguidores, o islamismo, fundado pelo profeta Maomé há 1.400 anos no que hoje é a Arábia Saudita, é a segunda maior religião do mundo em número de fiéis. O Islamismo esta em quase todo mundo, principalmente na Ásia, Europa e Oriente Médio.

No Brasil. A partir do ano de 1500, época do descobrimento do Brasil, ocorreu à chegada dos islâmicos no País. Em um primeiro momento, esse grupo foi formado por navegadores árabes que chegaram a terras brasileiras por meio das expedições de Pedro Álvares Cabral. Com o trabalho escravo na colônia portuguesa, diversos negros seguidores do Islã foram traficados ao Brasil, processo que ampliou a quantidade de islâmicos na nação.

Um dos feitos mais marcantes dos muçulmanos no Brasil foi a Rebelião de Libertação, na qual foi iniciada uma batalha para defender o Quilombo dos Palmares entre os anos de 1693 a 1694. Além disso, foram de extrema importância na Revolta dos Muçulmanos Haussás (1807) e, em 1835, na Revolta dos Malês, movimento de escravos de origem muçulmana com propostas radicais referentes à libertação dos demais servos africanos que também fossem muçulmanos.

Informações sobre algumas entidades conforme publicadas pelo IBGE. A Federação Islâmica Brasileira aponta a existência de 1,5 milhão de seguidores do Islã no Brasil. Em todo o País, estima-se que existam oitenta centros de Islã e cerca de 50 mesquitas. As cidades de Foz do Iguaçu, Curitiba, Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo abrigam as mais populosas comunidades de muçulmanos no Brasil. Notavelmente, na já citada Foz do Iguaçu, encontra-se o maior número de adeptos da religião. Além da presença de salas destinadas à oração e templos por quase todos os outros Estados que compõe a nação, em São Paulo há aproximadamente 10 mesquitas, sendo que a mais antiga é a Mesquita Brasil, fundada no continente latino-americano a partir do ano de 1929.


IV - HINDUÍSMO 

Na religião dos hindus ou no hinduísmo, o tempo do fim ocorre quando Kalki, a encarnação final de Vishnu, desce montado num cavalo branco e traz um fim ao atual Kali Yuga. 

As nações que praticam o hinduísmo: A Índia, a Mauricia, e o Nepal, assim como a ilha indonésia de Bali têm como religião predominante o hinduísmo; importantes minorias hindus existem em Bangladesh (11 milhões), Myanmar (7,1 milhões), Sri Lanka (2.5 milhões), Estados Unidos (2,5 milhões), Paquistão (4,3 milhões), África do Sul (1,2 milhão), Reino Unido (1 milhão) e outras pelo mundo. O hinduísmo é a terceira religião com o maior número de praticantes, a maioria na Índia. Seus ensinamentos influenciam bastante a organização da sociedade indiana. Os seguidores do hinduísmo acreditam em vários deuses e na reencarnação. Segundo o hinduísmo, os seres humanos morrem e renascem várias vezes. 

O Hinduísmo, como o terceiro dos três períodos da religião indiana, caracterizado por um extremo pluralismo de cultos, deuses e seitas; neobramanismo, neo-hinduísmo [Estendendo-se do sVI a.C. aos dias atuais, o hinduísmo sofre o impacto de religiões estrangeiras (cristianismo, islamismo), religiões indianas heterodoxas (budismo, jainismo, siquismo), escolas filosóficas e místicas (dársanas e sufismo); na mistura de monoteísmo, politeísmo e panteísmo, intensifica-se o caráter pluralista e sincrético que está na origem da própria religião indiana.]. O hinduísmo e o conjunto da religião indiana de origens védicas até os dias atuais.

No Brasil o hinduísmo é pouco comum e é encontrado em pequenas cidades. Os Xacras do Hinduísmo são usados em vídeos de relaxamento na internet da comunidade brasileira, devido também ao ioug. A jyotisha indiana tem ganhado cada vez mais espaço e tem sido considerada a forma de astrologia mais precisa de todas


V - BUDISMO

Para o budismo, o Buddha predisse que seus ensinos seriam esquecidos após 5000 anos, seguidos por tumulto. Um bodhisattva chamado Maitreya aparecerá e redescobrirá o ensinamento de dharma. A destruição derradeira do mundo virá então através de sete sóis.

Origem do Budismo. No ano de 563 nascia na Índia, Siddhartha Gautama. A vida de Buda pode ser resumida em nascimento, maturidade, renúncia, busca, despertar e libertação, o ensino e a morte. De família aristocrata, culto, se viu chocado quando descobriu a realidade de seu país. Budismo é uma doutrina religiosa, filosófica e espiritual e tem como preceito a reencarnação do ser humano de forma a prender-nos aos sofrimentos do mundo material. 

Suas principais crenças. Os ensinamentos básicos do budismo são: evitar o mal, fazer o bem e cultivar a própria mente. O objetivo é o fim do ciclo de sofrimento, samsara, despertando no praticante o entendimento da realidade última - o Nirvana. O ponto de partida do budismo é a percepção de que o desejo causa inevitavelmente a dor. 

Buda sobre Verdade. Só com o esforço prolongado e sinceridade, disciplina e autocontrole, o sábio se torna como uma ilha, que nenhuma enchente consegue inundar. ... Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade. Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração. Significado de Buda. Buda significa iluminado em sânscrito, antiga língua sagrada da Índia. Buda é um título dado a um mestre budista ou a todos os iluminados que alcançaram a realização espiritual do budismo.

Budismo em crescimento no país. Segundo dados do censo brasileiro de 2010, há atualmente no Brasil 243.966 praticantes do budismo. Em 1991, eram 236 408 budistas e, em 2000, eram 214 873. ... Ao mesmo tempo, está havendo conversão de brasileiros não descendentes de japoneses ao budismo. 


VI - RELIGIÃO TRADICIONAL CHINESA

A Religião ou as religiões recorrentes na China tem aproximadamente 400 milhões de adeptos é um termo usado para descrever uma complexa interação entre as diferentes religiões e tradições filosóficas praticadas na China. Os adeptos da religião misturam credos e práticas de diferentes doutrinas, como o Confucionismo, o Taoismo, o Budismo, a Religião Tradicional Chinesa e outras religiões menores. Com mais de 400 milhões de praticantes, eles representam cerca de 6% da população mundial. Essas religiões têm suas crenças em vários tipos de deuses. 

Qual Deus da China? Também conhecido como Yu Huang Shang-ti, seu nome significa "a Augusta Personalidade de Jade". É considerado o primeiro deus e o responsável por todos os deuses e deusas. Em sua maioria os mitos chineses envolvem temas morais que informam o povo de sua cultura e de seus valores. 

Quantas religiões existem na China? Existem cerca de 10 milhões de católicos na China de 1,37 bilhão de habitantes, mas eles são divididos entre os que seguem a Igreja oficial - com bispos indicados pelo governo - e os que seguem o papa, praticam a religião em igrejas não oficiais e são perseguidos pelo regime comunista, assim como outras denominações evangélicas do mundo todo instaladas no pais de forma clandestina.

O cristianismo na China é uma religião minoritária em crescimento, que compreendem protestantes (em chinês: 基督教, Jī dū jiào, "Religião de Cristo"), católicos (天主教, Tian zhu jiao, "religião do Senhor dos Céus"), e um pequeno número de cristãos ortodoxos (東正教徒, Dongzheng jiaotu, "Religião ortodoxa/correta do Oriente"). Esses são duramente perseguidos pelo governo comunista chinês.


VII - ESPIRITISMO

Com aproximadamente 13 milhões de adeptos no mundo, o Espiritismo não é exatamente uma religião, mas também entra na lista como uma religião. A sobrevivência do espírito após a morte e a reencarnação são as bases dessa doutrina, q qual surgiu na França e se expandiu pelo mundo a partir da publicação de O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec (1857). No Brasil se encontra a maior comunidade espírita do mundo, sendo com 1,3% da população do país é espírita.

Espiritismo, doutrina espírita, kardecismo ou espiritismo kardecista é uma doutrina religiosa, filosófica, mediúnica e moderno espiritualista codificada pelo pedagogo francês Hippolyte Léon Denizard Rivail, que usava o pseudônimo Allan Kardec. O que ensina o Espiritismo? Segundo o Espiritismo, todo homem é um médium, um canal de comunicação entre os vivos e os espíritos, isso porque os espíritas acreditam ser desnecessário o vínculo com Deus, “a inteligência suprema”, como descreveu o espírita Allan Kardec em seus ensinamentos.

Para o Espiritismo, Jesus é o modelo de ser humano mais perfeito que Deus ofereceu, para servir de guia. Neste sentido é que Allan Kardec afirma que, "para o homem, Jesus constitui o tipo da perfeição moral a que a Humanidade pode aspirar na Terra".

O que é o Espiritismo Kardecista? Os primeiros exemplares do livro deixaram a Tipografia de Beau, na cidade de Saint-Germain-en-Laye, em 18 de abril de 1857 – a data oficial do nascimento do espiritismo, nome criado por Kardec, apresentado da seguinte maneira: “A crença espírita, ou o espiritismo, consiste em acreditar nas relações entre o mundo físico". A doutrina é baseada em cinco "obras básicas", chamadas de Codificação Espírita, publicada por Kardec entre 1857 e 1868. A codificação é composta por O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese. 

Allan Kardec (1804-1869) foi um importante propagador (codificador) da doutrina espírita. Foi educador, escritor e tradutor francês. Allan Kardec, pseudônimo de Hippolyte Léon Denizard Rivali, nasceu em Lyon, França, no dia 3 de outubro de 1804. 

No Brasil, as ideias que deram origem ao espiritismo remontam às primeiras experiências com o chamado "fluido vital" (magnetismo animal, mesmerismo) por parte dos praticantes da homeopatia, nomeadamente os médicos Benoît Jules Mure, natural de França, e João Vicente Martins, de Portugal, que chegaram ao país em 1840. O Primeiro Centro Espírita do Brasil e o seu Criador Telles de Menezes. Após oito anos do lançamento do Livro dos Espíritos, em 17 de setembro de 1865, foi fundado em Salvador o Grupo Familiar de Espiritismo por Luiz Olympio Telles de Menezes – primeiro Centro Espírita do Brasil.

Realizamos estes estudos baseados nas religiões, nas suas crenças, seus deuses, e a visão de cada uma acerca dos finais dos tempos ou do final do mundo. Cada povo tem suas tradições, suas linguagens e suas origens, porem quanto às religiões muitos se misturam com seus tipos de  e crendices.

A Vinda de Jesus Cristo e o ápice da igreja evangélica e a esperança de milhares de cristãos no mundo todo. No judaísmo os que creem na vinda do Machiach são denominados de Judeus Messiânicos. Nas demais religiões foi pesquisado suas crenças e seus denominados salvadores os quais irão, segunda a  de cada uma, salvar ou libertar o seu povo de acordo com os ensinamentos de seus denominados mestres.


ENCERRAMENTO

Estudos tratam que desde o desenvolvimento do conceito de tempo profundo ou do fim do mundo no século 18, cálculos da idade estimada da Terra, discursos científicos sobre o fim dos tempos centrou-se no derradeiro destino do Universo.

No século 18 e 19, teólogos do mundo inteiro e não teólogos, mas religiosos estudantes das Santas Escrituras chegaram a pré-dizer o tempo da vinda do Messias (Mashiach), como o americano Guilherme Miller que chegou há calcular o ano, mês e dia do evento do Arrebatamento da Igreja, o que não ocorreu. Para os seguidores de Miller foi uma frustração generalizada. Muitos pastores na época abandonaram suas igrejas e denominações e seguiram as ideologias de Miller e acabaram de frustrando. Uns retornaram para as igrejas suas. Outros se desviaram do Evangelho e outros fundaram novas denominações.

Como vamos que em quase todas as religiões e denominações cristãs diversas, todas estão chegando a um denominador comum, a comunhão da ideia de que estamos nos aproximando do final dos tempos.

Boa leitura!

Pastor João Amilton,
AD Madureira,

Palmeira das Missões, RS.

segunda-feira, 23 de março de 2020

Corona Virus


OS CRISTÃOS NÃO PODEM ENTRAR EM PÂNICO!

Queridos leitores, desde o princípio do mundo, a história nos conta que os reinos se abalam, os governos caem, os homens entram em desespero, mas o Todo Poderoso permanece inabalável. Então mais uma vez, num pais considerado quase que na sua totalidade de cristãos que dizem confiar no Salvador Jesus Cristo, não podem se desesperar diante dessa pandemia e sim confiar nas decisões das autoridades e no poder que há no Sangue de Jesus.

As informações de como se cuidar e evitar a contaminação estão aterrando a mídia brasileira e todos os meios de comunicação e redes sociais. A Organização Mundial de Saúde (OMS) classificou o corona vírus como uma pandemia e a previsão é que a coisa pode piorar mais ainda. Quase todos os governos estão fechando as fronteiras, restringindo voos, declarando estado de emergência e impondo restrições para tentar impedir o avanço dessa doença. Sem falar no prejuízo financeiro que isso vai causar.

No entanto, um dos ensinamentos mais importantes que o povo cristão jamais deve esquecer é que nada foge do controle de Deus. Lembre-se que a Bíblia diz em Lucas capítulo 21-11, que adverte sobre esses acontecimentos: “Haverá grandes terremotos, fomes e epidemias em vários lugares e acontecimentos terríveis e grandes sinais provenientes do céu”.

Mas o que esta acontecendo é o que já estava previsto para os últimos tempos, conforme Mateus 24-6, onde Jesus diz que não devemos nos assustar, “porque é necessário que essas coisas aconteçam”. Ele diz ainda que isso acontecerá antes de Seu retorno para buscar a Igreja, o que ansiosamente.

Mas não estamos dizendo que a situação atual não causa preocupação. Causa e muito. Pois seria leviano de minha parte afirmar que não devemos nos precaver. Porém, digo que isso deve estar acompanhado de serenidade, pois o pânico não é bom e não leva a nada, ou a lugar algum.

Sabemos que todas as crises que estamos enfrentamos neste mundo, seja qual for o seu nível, devem ser encaradas com fé e com muita coragem. Entrar em desespero demonstra que a nossa confiança em Deus está abalada e que não estamos olhando a situação da maneira correta conforme os ensinamentos de Jesus.

Na Palavra de Deus, na Segunda Carta a Timóteo 1-7, a Bíblia diz: “Pois Deus não nos deu um Espírito que produz temor e covardia, mas sim que nos dá poder, amor e autocontrole” .

As Santas Escrituras ensinam que Deus é o nosso refúgio e fortaleza (Salmos 46.1), o que demonstra o tamanho do Seu poder para nos proteger e nos assegurar a vitória em meio aos enormes problemas que estamos enfrentando no presente momento.

Não adianta entrarmos em pânico e acabarmos piorando ainda mais a situação que já é bem delicada. Algumas coisas podem nos deixar confusos, crises podem provocar preocupação e levantar dúvidas em nossa mente, mas o Senhor não se abala e por isso precisamos confiar nEle de forma absoluta.

A Palavra de Deus diz que o Senhor Todo Poderoso está assentado no alto e sublime trono. Todos os reinos se abalam, os governos caem, os homens entram em desespero, mas o Todo Poderoso permanece inabalável. É por isso que devemos depositar toda a nossa confiança nEle, sabendo que nada pode impedir o Seu agir.

Crises, pandemias e problemas de proporções tão grandes podem nos deixar desequilibrados, causando preocupações astronômicas que trazem muitas coisas negativas. Poderíamos dizer para todos se prevenirem da melhor forma, como estocarem alimentos, comprarem remédios, encherem suas despensas, estocarem muito álcool gel, mas nada disso te daria esperança e a sua verdadeira esperança não estiver baseada nos ensinamentos de Jesus.

Mas ao invés de trazermos mais preocupação, queremos que todos pensem em como o Senhor Jesus mantém o controle sobre tudo isso que está acontecendo. Todos precisam se cuidar, se precaver e evitar o contágio pela doença, mas jamais deve permitir que isso vire um pânico descontrolado.

Caro leitor, estamos em tempos difíceis em todo o mundo, o medo está aumentando e o desespero vem se tornando cada vez mais evidente. É por isso que, como crentes em Jesus Cristo, devemos ser instrumentos de boas notícias. Devemos anunciar a esperança de um Reino de perfeita paz. “Não fique ansioso por nada, mas em todas as situações, por oração e petição, com ações de graça, apresente seus pedidos a Deus”. E a paz de Deus, que transcende todo entendimento, guardará seus corações e suas mentes em Cristo Jesus “ (Filipenses 4.6-7).

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Maldito o Homem Que Confia!


QUANDO CONFIAR EM ALGUÉM

“Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor! Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja confiança é o Senhor” (Profeta Jeremias 17:5,7).

A mensagem do Profeta Jeremias nós trás uma grandiosa reflexão para o momento atual. Na época de seu ministério o Profeta Jeremias sofreu as mais terríveis humilhações e perseguições! Porém a mensagem do Eterno de Israel se cumpriu e todos os que o ignoraram Sua Palavra sofreram amargas derrotas e destruição.

No final da vida do profeta a nação de Israel e todos os que lhe perseguiram estavam em completa ruína. Tudo isso porque não ouviram a voz do SENHOR através da simplicidade do homem de Deus. O Profeta Jeremias no dia da calamidade de Israel e de seus péssimos governantes teve seu ministério reconhecido pelos opressores de Israel e também lhes deram a liberdade de escolha entre ir como convidado para a Babilônia ou permanecer na terra de Israel. Como homem que o Eterno levantou para fazer a diferença dentre Seu povo, o Profeta preferiu ficar entre as ruínas com seus compatriotas que não foram repatriados para a nação opressora.

Esta foi a escolha do profeta, ficar na sua terra, assim como teve o cerceamento de seu grande ministério profético.

Do Profeta Jeremias poderemos dizer a seu respeito que era um verdadeiro nacionalista, um homem vocacionado por seus ideais e obediente à voz de Deus. Logicamente que na condição dele poucos tiveram uma vida semelhante. Foi um exemplo na sua época que quase ninguém seguiu. Jeremias foi porta voz do SENHOR Deus dos Exércitos para o seu povo, mas esses não lhe quiseram ouvir. Foram malditos todos os homens de Israel que não confiaram na veracidade das palavras do Profeta, embora soubessem que se tratava de um verdadeiro profeta, mas preferiram ouvir a voz da falsa profecia, assim como muitos nos dias atuais.

Na atualidade não nos deparamos mais com homens de Deus como o Profeta Jeremias. O que temos ouvido na atualidade são os profetas do infortúnio e estarrecedor das verdades de Deus. Suas profecias não condizem com as verdades escriturísticas, mas sim com a vontade do povo de ouvir algo que lhes agrade. isso é horrível a nós e abominável a Deus.

Como pregador do evangelho do SENHOR JESUS, dá tristeza de ver tantos pregadores usando o nome de Deus e deturpando o Evangelho do Reino em completa depreciação moral, se assim é que podemos nos referir a todo esse engodo. Estamos vivendo um tempo que dentre o povo cristão alguns podem categoricamente afirmar se uma pessoa é de Deus ou do diabo! Isso pelo o que ela diz ou pelo que ela fala ou acredita. Hoje a mensagem do Profeta Jeremias com absoluta certeza não tem o mesmo efeito que já não teve no passado. Sabe por quê? Porque todos ou quase todos estão ouvindo vários tipos de vozes, menos a verdadeira voz de Deus. A Palavra de Deus nos diz que “Os que confiam no Senhor serão como os montes Sião que não se abalam, mas permanecem firmes para sempre” (Salmos 125,1).

Quantos estão deixando de confiar no Senhor e passaram cegamente a confiar na voz de homens. Quantos estão dizendo que a voz que estão ouvindo é a voz de Deus, mas não é! Pior é que ainda afirmam que é vinda de Deus. Mas seus atos, os gestos e as expressões demonstram tudo ao contrário ao que as escrituras dizem. A modernidade ou a atualidade tem levantado homens cheios de eus, os quais tem levado multidões a cometerem erros grotescos contra a verdade do SENHOR.

Para finalizar, não podemos deixar de confiar no amigo, no nosso líder, nas coisas que pensamos ou mesmo vivemos, mas que a nossa confiança seja medida e comparada com as verdades bíblicas. Tudo o que não tiver conivência com as Santas Escrituras não é verdadeiro e nem pode ser confiável.

Não podemos escolher alguém em detrimento de outro. Esse conselho é bíblico. Não podemos julgar alguém por que pensa diferente de nós. Também é mandamento do SENHOR. Não podemos desejar o mal a outrem porque assim estaremos descumprindo a lei do amor dada por Jesus. Enfim, muda-se os tempos, as épocas, até às nações mas não se mudam os hábitos. 

As pessoas continuam julgando a outros pelo que elas veem, ouvem e querem ouvir. Bendito seja Deus e os que O amam!

Templo Sede

Templo Sede
Avenida Independência, 1999, Centro, Palmeira das Missões

Congregação Bairro Mutirão

Congregação Bairro Mutirão
Avenida José Firmino Vilande, 274, Bairro Mutirão, Palmeira das Missões

Congregação de Santo Augusto

Congregação de Santo Augusto
Rua Nonô Prates, 43, Bairro Santa Fé, Santo Augusto

Congregação Frederico Westphalen

Congregação Frederico Westphalen
Rua 137, sn, Bairro Distrito Industrial, Frederico Westphalen, RS

CONEMAD-RS E DEPARTAMENTOS

DIRETORIA CONEMAD-RS 2019-2022

CARGO

NOME

Presidente

Pr. Isaque Saletti dos Santos

1º Vice Presidente

Pr. Moisés dos Santos Lemos

2º Vice Presidente

Pr. Luiz de Bairro

3º Vice Presidente

Pr. Jerônimo Luiz da Silva

4º Vice Presidente

Pr. Valério Ricardo de Melo

5º Vice Presidente

Pr. João Sidnei dos Anjos Mombaque

1º Secretário

Pr. Jussiê Alberto Teixeira

2º Secretário

Pr. Adames Paz da Silva

3º Secretário

Pr. José Fernandes da Silva

4º Secretário

Pr. Peterson Donizete Gomes da Silva

5º Secretário

Pr. Paulo Alaert Martins

1º Tesoureiro

Pr. Emerson Fabiano Chaves

2º Tesoureiro

Pr. Jonas Cemim de Borba

1º Conselheiro Fiscal

Pr. Paulo de Souza

2º Conselheiro Fiscal

Pr. Lindomar Silveira Prestes

3º Conselheiro Fiscal

Pr. Carlos Roberto Silva dos Santos

1º Sup. Vice Presidente

Pr. Marlon Almeida Santos

2º Sup. Vice Presidente

Pr. José Alvori Lemos dos Reis

3º Sup. Vice Presidente

Pr. Jacó Luiz Martiny

4º Sup. Vice Presidente

Pr. Vandir de Bairro

5º Sup. Vice Presidente

Pr. Jeremias Feliciano Dias

1º Sup. Secretário

Pr. Gideon Dias Barros

2º Sup. Secretário

Pr. Osnei de Oliveira da Silva

3º Sup. Secretário

Pr. Pedro Enio Rodrigues

4º Sup. Secretário

Pr. Rogério da Silva

5º Sup. Secretário

Pr. João Amilton de Anunciação

DIRETORIA CIBE RS

CARGO

NOME

Presidente de Honra

Missionária Sandra Regina de Melo

Presidente de Honra

Pra. Regina Vargas

Presidente de Honra

Pra. Nair Prestes

Presidente

Pra. Marilene Lemos

1ª Vice Presidente

Pra. Esdra dos Santos

2ª Vice Presidente

Pra. Nelci Martins

3ª Vice Presidente

Pra. Helena da Silva

4º Vice Presidente

Pra. Beatriz Mombaque

5º Vice Presidente

Pra. Valéria Cabreira

ASSESSORAS REGIONAIS

Rio Grande

Pra. Débora Godoi de Melo

Porto Alegre

Misª. Eloíza Mann

Rolante

Misª. Edineia Borba

Catuípe

Misª. Fabiana

Farroupilha

Pra. Marlei de Bairro

Santiago

Pra. Cibele Martins

Tramandaí

Pra. Nelci Martins

TESOUREIRAS

1ª Tesoureira

Pra. Janete Paz

2ª Tesoureira

Pra. Rosane da Luz

3ª Tesoureira

Pra. Rosangela da Silva

4ª Tesoureira

Misª. Angela Lima

5ª Tesoureira

Misª. Neiva Vargas

SECRETARIA

Secretária Executiva

Misª. Marcia Prestes

1ª Secretária

Misª. Gilda Martins Dias

2ª Secretária

Misª. Michelle Teixeira

3ª Secretária

Misª. Andrea Martiny

4ª Secretária

Misª. Dienefer Mongelos

5ª Secretária

Misª. Elenir Bitencourt

DIRETORIA UMADERSUL

CARGO

NOME

Presidente

Pr. Cleber Lima

1ª Vice Presidente

Pr. Maicon Rafael dos Santos

2ª Vice Presidente

Pr. Marlon Santos

3ª Vice Presidente

Pb. Gabriel Wolmann

TESOURARIA

1ª Tesoureiro

Pr. Clayton Graciano Ferreira

2ª Tesoureiro

Ev. Wiliam Oliveira Machado

SECRETRARIA

1ª Secretária

Glaucia Teixeira

2ª Secretária

Emelin Borba

3ª Secretária

Dc. Oséas Govea

SECRETARIA DE MISSÕES – SEMMIRS

CARGO

NOME

Diretor

Pr. Franco Gonçalves Laus

1ª Vice Diretor

Pr. Marcos Moreira

REGIONAIS

Fronteira

Pr. Edson Rodrigues de Farias

Serra/Farroupilha

Pr. Josuel Vargas da Cruz Vieira

Litoral/Tramandaí

Ev. Filipi Domingos Moreira

COORDENADORIA DE PROJETOS

Coord. Proj. Interior

Pr. Jussiê Alberto Teixeira

Coord. Proj. Capital

Pr. Marlon Santos

TESOURARIA

1º Tesoureiro

Ev. Josias Moreira Thomas

2ª Tesoureira

Pra. Rosane da Luz

SECRETARIA

Secretário Executivo

Pb Eliel Silveira Prestes

INTERCESSÃO

Líder

Misª Karine Laus

Intercessora

Misª Marcia Moreira

Intercessora

Misª Michelle Teixeira

Intercessora

Rosmari Da silva Vieira

DIRETORIA DO CAMPO DE PALMEIRA DAS MISSÕES - ANO 2018

CAMPO DE PALMEIRA DAS MISSÕES
DIRETORIA EXECUTIVA - ANO 2018

PRESIDÊNCIA:
Pastor
JOÃO AMILTON DE ANUNCIAÇÃO.

VICE-PRESIDÊNCIA:
Primeiro Vice-Presidente, Presbítero MOISÉS MENDES BATALHA;
Segundo Vice-Presidente, Evangelista FÁBIO ROMERO DA SILVA.

SECRETARIA:
Primeira Secretário, Presbítero MENDEZ MARTINS COIMBRA;
Segundo Secretário, Presbítero GUSTAVO CABREIRA DE ANUNCIAÇÃO..

TESOURARIA
Primeira Tesoureira, Missionária
ROSIMARI OLIVEIRA DA ROCHA;
Segunda Tesoureira, Pastora
MARTHA VALÉRIA LOPES CABREIRA DE ANUNCIAÇÃO.

CONSELHO FISCAL E ADMINISTRATIVO:
Pastor JACOB VANDERLEI PORTOLAN;
Evangelista ABEL MARTINS MATTOS;
Presbítero PAULO RENATO PRESTES;
Diácono PAULO ROBERTO DA SILVA MEDEIROS (Susbsto).


CONGREGAÇÕES - PASTORES DIRIGENTES
PALMEIRA DAS MISSÕES - BAIRRO MUTIRÃO
Presbítero MOISÉS MENDES BATALHA.

CONGREGAÇÃO DE SANTO AUGUSTO:
Evangelista FÁBIO ROMERO DA SILVA.

CONGREGAÇÃO FREDERICO WESTPHLEN:
Presbítero PAULO RENATO PRESTES.


CÍRCULO DE ORAÇÃO - OBREIRAS DIRIGENTES:
PALMEIRA DAS MISSÕES - SEDE
Dirigente, Diaconisa ODILA STEPHANINI BATALHA;
Diaconisa HELGA SCHOKAL LENCINA;
Diaconisa CLEUSA DE OLIVEIRA DE MEDEIROS.

CONGREGAÇÃO BAIRRO MUTIRÃO
Dirigente, Diaconisa ODILA STPHANINI BATALHA.

CONGREGAÇÃO SANTO AUGUSTO
Dirigente, Diaconisa TEREZINHA KOWALSKI.

CONGREGAÇÃO FREDERICO WESTPHALEN
Dirigente, Diaconisa MARINES BRIZOLLA PRESTES.

RELAÇÃO DE OBREIROS - 2018

RELAÇÃO DOS OBREIROS DO CAMPO PARA O ANO DE 2018

Relação dos Obreiros e Obreiras para o ano de 2018, da Igreja Evangélica Assembléia de Deus de Palmeira das Missões Ministério de Madureira, sito na Avenida Independência, 1999, centro da cidade de Palmeira das Missões, CAMPO DE PALMEIRA DAS MISSÕES, conforme a seguir relacionados:­


001 - PALMEIRA DAS MISSÕES – SEDE:

Pastor Presidente JOÃO AMILTON DE ANUNCIAÇÃO,

Pastora MARTHA VALÉRIA LOPES CABREIRA DE ANUNCIAÇÃO,

Evangelista ABEL MARTINS MATTOS,

Missionária ROSIMARI OLIVEIRA DA ROCHA,

Presbítero GUSTAVO CABREIRA DE ANUNCIAÇÃO,

Diácono PAULO ROBERTO DA SILVA MEDEIROS,

Diaconisa HELGA SCHOKAL LENCINA,

Diaconisa ODILA STEPHANINI BATALHA,

Diaconisa CLEUSA DE OLIVEIRA MEDEIROS,

Diaconisa OLINTA ROZANI NIEDERAUER GUTLER,

Cooperador GUILHERME CABREIRA DE ANUNCIAÇÃO,

Cooperador GABRIEL CABREIRA DE ANUNCIAÇÃO,

Cooperadora ELCY MULLER FRANCO.


002 - PALMEIRA DAS MISSÕES – CONGREGAÇÃO BAIRRO MUTIRÃO:

Presbítero MOISÉS MENDES BATALHA,

Presbítero MENDES MARTINS COIMBRA.


003 - SANTO AUGUSTO - CONGREGAÇÃO:

Pastor JACOB VANDERLEI PORTOLAN,

Missionária ÂNGELA ROSANE PORTOLAN,

Evangelista FÁBIO ROMERO DA SILVA,

Evangelista GILMAR KOWALSKI,

Presbítero VILSON PICCO,

Diaconisa MARISA CRISTINA MOREIRA DA SILVA,

Diaconisa ROSIMARI CAMARGO PICCO,

Diaconisa ELEONIR TERESINHA CHAVES KOWALSKI.

Cooperador GERSON DOMINGOS ALBINO MANOEL.


004 - FREDERICO WESTPHALEN - CONGREGAÇAO:

Presbítero PAULO RENATO PRESTES,

Diácono DIONE LUIZ SARMENTO,

Diaconisa MARINÊS DA SILVA BRIZOLLA,

Diaconisa EDINARA BRIZOLLA PAES,

Diaconisa DIONEFER BRIZOLLA SARMENTO.


OUTRAS CIDADES - OBREIROS:


LAGEADO DO BUGRE

Presbítero ABEL SUTERES,

Diaconisa MARIA TEREZINHA MOREIRA SUTERES.

Pórtico de Palmeira das Missões

Pórtico de Palmeira das Missões